A PROJEÇÃO DA LOUCURA NA FIGURA FEMININA EM ANTICRISTO, DE LARS VON TRIER

Autores

  • Patricia Kruger Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Departamento de Letras Modernas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i13p55-68

Palavras-chave:

Cinema, Literatura, Lars von Trier, Foco Narrativo, Loucura, Estudos de Gênero

Resumo

Nossa intenção é apresentar aqui um estudo dissonante sobre a representação da loucura no filme Anticristo (Antichrist, 2009), do cineasta dinamarquês Lars von Trier. Partindo da análise do foco narrativo exposto pelo filme, que seria associado à personagem masculina, objetivamos observar como a feminilidade e seu suposto “desvio da norma” são filtrados pelos interesses do discurso corporificado na figura masculina. De forma mais abrangente, interessa-nos ilustrar, numa leitura a contrapelo, como os processos alucinatórios, paranoicos e o estado de transe que o filme apresenta referem-se justamente a esta figura, e quais as consequências desta determinada configuração formal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Kruger, Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Departamento de Letras Modernas

Doutoranda pelo Departamento de Letras Modernas, FFLCH, USP.

Referências

ALI, Y. Why Women Aren’t Crazy. The Good Men Project, 18/09/2011. Disponível em

< http://goodmenproject.com/featured-content/why-women-arent-crazy/>. Acesso em 14 jun 2014.

BRAZ, W. A. Anticristo: feminilidade e loucura na obra de Lars Von Trier. 2010. 85 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2010.

CAMARGO, I. “Contra o Drama”. Palestra ministrada para o Ciclo Estética de As formas de teatro social. Núcleo 2 – CIA Fábrica de São Paulo, 12/09/2005.

LELLIS, G. Bertolt Brecht: Cahiers du Cinéma and Contemporary Film Theory. Ann Arbor: UMI Research Press, 1982.

MATOS, O. “Modernidade: república em estado de exceção”. Revista USP, São Paulo, n. 59, p.46-53, setembro/novembro 2003.

ROSENFELD, A. O teatro épico. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2006.

SZONDI, P. Teoria do drama moderno (1880-1950). Trad. Luís Sérgio Repa. São Paulo: Cosac & Naify Edições, 2001

TRIER, L. v, et al. Antichrist. Array (Irvington, N.Y.): Criterion Collection, 2010. (108 min)

XAVIER, I. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência, São Paulo: Paz e Terra, 1984.

Downloads

Publicado

2014-12-12

Como Citar

Kruger, P. (2014). A PROJEÇÃO DA LOUCURA NA FIGURA FEMININA EM ANTICRISTO, DE LARS VON TRIER. Revista Criação & Crítica, (13), 55-68. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i13p55-68

Edição

Seção

Artigos