Identidade e feminismo negro em poemas afro-brasileiros

  • Camila Bastos Lopes da Silva UNAMA
  • José Guilherme de Oliveira Castro
  • Lucilinda Ribeiro Teixeira
  • Paulo Jorge Martins Nunes
Palavras-chave: Feminismo negro;, Identidade;, Poemas

Resumo

A presente pesquisa investigará dois poemas de escritoras afro-brasileiras utilizando como base teórica o conceito de identidade e de feminismo negro. A pesquisa torna-se de fundamental importância pois discorre sobre o feminismo negro e o uso da linguagem como recurso que confronta o patriarcalismo, o sexismo e a colonização do poder e do saber ainda tão presentes nos dias atuais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2002.
BEAUVOIR, S. de. O Segundo Sexo, a experiência vivida. Difusão Europeia do Livro, 2002.
BONNICI, T. O pós-colonialismo e a literatura: estratégias de leitura – Maringá: Eduem, 2000.
BOSI, A. Narrativa e resistência. In: ___. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002, p. 118-135.
BOURDIEU, P. A Dominação Masculina – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.
BUTLER, J. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Copyright Routledge, 2003.
CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: Estrategias para entrar y salir de la modernidad. Grijalbo S.A, 1989.
CANDAU, V. M. Direitos Humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, v.13 n.37 jan-abr 2008.
COLLINS, Patrícia Hill. Black Feminist Thought: Knowledge, Consciousness, and the Politics of Empowerment – New York: Routledge, 2000.
DAVIS, P. H. C; WELLS, S. T.; CARBY, C. S. Feminismos negros. Una antología. Madrid, 2012.
GARCÍA, N. Culturas Híbridas: Estrategias para entrar y salir de la modernidad – México: Grijalbo, 1990.
GEERTZ, C. A Interpretação das Culturas – Rio de Janeiro: LTC, 1989.
GENETTE, G. Discurso da narrativa. 2002.
HALL, S. Da diáspora: identidades de mediações culturais – Belo Horizonte: UFMG, 2002.
HARVEY, D. Condição pós-moderna. Tradução Adail Sobral e Maria Gonçalves. 25ª edição. São Paulo: Edições Loyola, 2014.
HOOKS, B. Feminism is for Everybody. Cambridge, 2000.
HOOKS, B. Choosing the Margin as a Space of Radical Openness: from Yearnings: Race, Gender and Cultural Politics, 1989.
LONDEIRO; Josirene Cândido, SILVA; Vinicius da. DO MATRIARCALISMO AO PATRIARCALISMO: formas de controle e opressão das mulheres. Disponível em: https://editorarealize.com.br/revistas/conages/trabalhos/TRABALHO_EV053_MD1_SA8_ID48_21042016135430.pdf. Acesso em: 22 de fevereiro de 2019.
MENDES, Soraia da Rosa. (RE)Pensando a Criminologia: Reflexões sobre um novo paradigma desde a epistemologia feminista. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/118 67/1/2012_SoraiadaRosaMendes.pdf Aceso em: 20 de fevereiro de 2019.
NETO, João Colares da Mota. Por uma pedagogia decolonial na América Latina. Curitiba: editor CRV, 2016.
SILVA, Tomaz Tadeu, HALL, Stuart, WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: A Perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Editora Vozes, 2000.
SPIVAK, G. C. Pode o subalterno falar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.
VELASCO, J. Construyendo puentes: un diálogo desde-con el feminismo negro. In: feminismos negros: una antología. Villatuerta: Traficantes de sueños, 2012.
Publicado
2019-08-03
Como Citar
Lopes da Silva, C., de Oliveira Castro, J., Teixeira, L., & Martins Nunes, P. (2019). Identidade e feminismo negro em poemas afro-brasileiros. Revista Crioula, 1(23), 167-183. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2019.156913
Seção
Dossiê 23: A experiência étnico-racial nas literaturas de língua portuguesa