Um sonho dantesco

uma leitura de “O navio negreiro”, de Castro Alves

  • João Pedro Lima Bellas Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Castro Alves, Romantismo, Gótico, Mar

Resumo

O artigo propõe uma leitura do poema “O navio negreiro”, de Castro Alves, que busca dar conta das imagens empregadas pelo poeta para lidar com as questões da escravidão. A abordagem terá como objetivo demonstrar que, para dar conta dos horrores engendrados pelo sistema escravocrata, o autor recorreu a uma série de imagens comuns ao Gótico literário. Além disso, será analisada com mais detalhe a imagem do mar, com vistas a compreender o seu significado no poema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Pedro Lima Bellas, Universidade Federal Fluminense

Bacharel e Licenciado em Filosofia e mestre em Teoria da Literatura e Literatura Brasileira pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Atualmente é aluno de doutorado em Literatura Comparada também pela UFF e professor substituto de filosofia no Colégio Pedro II. Faz parte do Grupo de Pesquisa Estudos do Gótico (CNPq), coordenado pelo prof. dr. Júlio França. Sua pesquisa principal tem como objeto o sublime, especificamente sobre a sua crise nos séculos XX e XXI. Interessa-se por questões relativas à Estética e Filosofia da Arte, à Filosofia da Literatura e à Teoria Literária.

Referências

ALVES, Castro. O navio negreiro. In: _____. Espumas flutuantes e Os escravos. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. p. 277-286.

BELLAS, João Pedro Lima. A busca pela transcendência nos trópicos: o sublime no Romantismo brasileiro. Dissertação de mestrado. Universidade Federal Fluminense, Instituto de Letras, 2018.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das letras, 1992.

BURKE, Edmund. Uma investigação filosófica sobre a origem de nossas ideias do sublime e do belo. Trad. Enid Abreu Dobránszky. Campinas: Papirus, 1993.

CANDIDO, Antonio. Poesia e oratória em Castro Alves. In: _____. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 15 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2014. p. 583-599.

EVARISTO, Conceição. África: âncora dos navios de nossa memória. Via Atlântica, São Paulo, n. 22, 2013. p. 159-165.

PUNTER, David. The literature of terror: a history of gothic fictions from 1756 to the present day. London: Longman, 1996. (Volume 1)

SCHNEIDER, Helmut. Nature. In: BROWN, Marshall (Ed.). The Cambridge history of literary criticism, vol 5: Romanticism. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

SECCHIN, Antônio Carlos. Um mar à margem: o motivo marinho na poesia brasileira do Romantismo. Revista USP, São Paulo, n. 47, 2000. p. 52-60.
Publicado
2019-08-03
Como Citar
Lima Bellas, J. P. (2019). Um sonho dantesco. Revista Crioula, 1(23), 262-278. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2019.157983
Seção
Dossiê 23: A experiência étnico-racial nas literaturas de língua portuguesa