Violências contra pergonagens travestis na literatura brasileira do século XX

  • Carlos Eduardo Albuquerque Fernandes Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
Palavras-chave: Personagens Travestis, Discriminação, Literatura brasileira, Realismo

Resumo

O presente trabalho discute sobre a representação da violência na construção de personagens centrais travestis na literatura brasileira do século XX. Faremos menção a alguns contos e romances brasileiros do século XX, para discutir a condição de subalternidade e abjeção dessas protagonistas a partir das violências que sofrem.  Nos baseamos em  pelo menos três aspectos teóricos para a análise em questão: estudos antropológicos sobre a experiência da travestilidade no Brasil, sobretudo em Silva (2007), Benedetti (2007) e Kulick (2008), os estudos culturais e de gênero, a partir de Butler (2010) e Spivak (2010), bem como a partir dos estudos literários de Fernandes (2015) e Silva (2010). O objetivo é chegar a um argumento crítico sobre a recorrente situação de subalternidade das protagonistas travestis na literatura brasileira, corroborando uma possível relação de mimetização ou de realismo nessa faceta da literatura homoerótica com o que se verifica no âmago de sociedades patriarcais e heteronormativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARCELLOS, J. C. Literatura e homoerotismo em questão. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2006.

BENEDETTI, Marcos R. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro, Garamond, 2005.

BRASIL. Comissão Nacional da Verdade. Relatório: textos temáticos / Comissão Nacional da Verdade. – Brasília: CNV, 2014.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. 3 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do sexo. In.: LOURO, Guacira Lopes (Org). O corpo educado – pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

CANDIDO, Antonio [et. Al.]. A Personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2007.

CARRARO, Adelaide. O travesti. São Paulo: L.oren, s.d.

CARVALHO, Gilmar de. Literatura e homoerotismo: alteridade de paixão. In: VALE, Alexandre Fleming Câmara.; PAIVA, Antonio Crístian Saraiva (orgs.). Estilísticas da sexualidade. Campinas: Pontes, 2006, p. 229-239.

FERNANDES, Carlos Eduardo Albuquerque. O desejo homoerótico no conto brasileiro do século XX. São Paulo: Scortecci, 2015.

FERNANDES, Carlos Eduardo Albuquerque. SCHNEIDER, Liane. Personagens travestis em narrativas brasileiras do século XX: uma leitura sobre corpo e resistência. João Pessoa: EDUFPB, 2017.

FONSECA, Rubem. Dia dos namorados. [1975] In.: RUFFATO, Luiz. (Org.) Entre nós. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2007, p. 125-136.

FOUCAULT, M. (Org.) Herculine Barbin - O diário de um hermafrodita. Trad. De Irley Franco. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982

FREIRE, Roberto. O Milagre. In.: ____. Travesti. São Paulo: Símbolo, 1978

GREEN, James. Além do carnaval – homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.

KULICK, Don. Travesti – prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Trad. Cesar Gordon. Rio de Janeiro: Fio Cruz, 2008.

LAURETIS, Tereza de. A tecnologia do gênero. In: HOLLANDA. Heloisa Buarque de. Tendências e impasses:o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994, p. 206-242.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. 2ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MAGALHÃES JÚNIOR, Raimundo. A Grande Atração. In.: DAMATA, Gasparino (Org.). Histórias do amor maldito. Rio de Janeiro: Record, 1967, p. 202-211.

MARTINS, Julio César Monteiro. Ruiva [1978]. In.: RUFFATO, Luiz. (Org.) Entre nós. Rio de Janeiro: Língua geral, 2007, p. 241-256.

ORTHOF, Sylvia. O fantasma Travesti. São Paulo: Espaço e tempo, 1988.

PELÚCIO, Larissa. Abjeção e Desejo – uma etnografia travesti sobre o modelo preventivo de AIDS. São Paulo: FAPESP, 2009.PROENÇA FILHO, Domício. Estilos de época na literatura. Rio de Janeiro: Liceu, 1969.

PRADO, Décio de Almeida. A personagem no teatro. In.: CANDIDO, Antonio [et. al.]. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2007, p. 81-101

RIOS, Cassandra. Uma mulher diferente. [1965]. São Paulo: Basiliense, 2005.

RIOS, Cassandra. Georgette. São Paulo: Record, 1956.

SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio. In.: ____. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2003, p. 46-60.

SALIH, Sara. Judtih Butler e a teoria Queer.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Quem reivindica a alteridade? In.: HOLLANDA, Heloisa Buarque. (Org). - Tendências e impasses – o feminismo como crítica da cultura. Rio de janeiro: Rocco, 1994, p. 187-205.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subaleterno falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010

SILVA, Helio R. S. Travestis – entre o espelho e a rua. Rio de Janeiro: Rocco, 2007.

SILVA, A.P.D. Incursões teóricas sobre o conceito de litertura gay. In.: SocioPoética – Vol. 1, Nº 7, 2010.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

XAVIER, Elódia. Que corpo é esse? O corpo no imaginário feminino. Florianopolis: Ed. Mulheres, 2007.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Fernandes, C. E. (2019). Violências contra pergonagens travestis na literatura brasileira do século XX. Revista Crioula, (24), 134-147. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2019.162540
Seção
Dossiê 24: Dissidências de gênero e sexualidade nas literaturas de LP