A representação do feminino na obra Senhora dos Mares

Autores

  • Ione Silva Vilela Pícoli Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.170250

Palavras-chave:

Literatura infantil, Ana Maria Machado, Representação de gênero, Feminismo

Resumo

Este artigo investiga o texto contemporâneo Senhora dos Mares (2012), autoria de Ana Maria Machado na perspectiva de encontrar um discurso que vise auxiliar o leitor no rompimento das representações do masculino e do feminino dentro da lógica dicotômica e excludente tida como hegemônica. Na narrativa, portanto, procuraremos abordar como é construída a personagem-criança Marina e se o discurso oferecido auxilia na desconstrução dos estereótipos binários entre os gêneros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEAUVOIR, Simone. O Segundo Sexo. [Trad.] MILLIET, Sérgio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. [Trad.] KÜHNER, Maria Helena. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015.

BRASIL. Política Nacionais de Educação Infantil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Brasília, 2006. Disponível em:, acesso em 20 de outubro de 2016.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LAJOLO, Marisa. “Infância de papel e tinta”. In: FREITAS, Marcos Cezar de. História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2003.

LARROSA, Jorge. “Narrativa, identidad y desidentificación”. In:______. La experiencia de lalectura. Barcelona: Ed. Laertes, 1996.

LOBO, Luíza. “Dez anos de literatura feminina brasileira (1975-1985)”. In: Crítica sem juízo. 2 ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

MACHADO, Ana Maria. Senhora dos Mares. São Paulo: Gaia, 2012.

MACHADO, Ana Maria. Contracorrente: conversas sobre leitura e política. São Paulo: Ática, 2009a.

OIT. Igualdade de gênero e raça no trabalho: avanços e desafios / Organização Internacional do Trabalho. Brasília: OIT, 2010.

POLETTO, Ana Júlia. A vida íntima de todas nós: Clarice Lispector e seus infantes. In: ZINANI, Cecil Jeanine Albert; CARVALHO, Diógenes Bueno Aires de. [Orgs.] Estudos de Gênero e Literatura para crianças: um diálogo pertinente Caxias do sul: Editora EDUCS, 2015, p. 149-160.

SANTOS, Salete Rosa Pezzi dos. “Bisa Bia, Bisa Bel: a representação do sujeito feminino”. In: Fazendo Gênero. Vol.8 – Corpo, Violência e Poder. Florianópolis, 25 a 28 de agosto, 2008.

SCOTT, Joan. Gênero, uma categoria de análise histórica. In: Educação e Realidade. v.16, n.2, jul/dez, 1990. Tradução Guacira Lopes Louro. Porto Alegre.

WOOLF, Virgínia. Profissão para mulheres e outros artigos feministas. São Paulo: Col. L&pm Pocket, 2008.

ZILBERMAN, Regina. Como e por que ler a literatura infantil brasileira. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014.

ZILBERMAN, Regina; SILVA, Ezequiel Theodoro. Literatura e pedagogia: Ponto e contraponto. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1990.

ZINANI, Cecil Jeanine Albert; CARVALHO, Diógenes Bueno Aires de. [Orgs.] Estudos de Gênero e Literatura para crianças: um diálogo pertinente. Caxias do sul: Editora EDUCS, 2015.

SITE Rede Mobilizadores. Mulheres na pesca, sorte na certa. Disponível em: <http://www.mobilizadores.org.br/noticias/pesquisa-aborda-universo-das-mulheres-na-amazonia/>, acesso em 2 de outubro de 2016.

SITE Dicionário de nomes próprios. Disponível em: <http://www.dicionariodenomesproprios.com.br>, acesso em 4 de outubro de 2016.

Downloads

Publicado

2020-07-27

Como Citar

Pícoli, I. S. V. (2020). A representação do feminino na obra Senhora dos Mares. Revista Crioula, (25), 105-119. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.170250

Edição

Seção

Dossiê 25: Literaturas de língua portuguesa para crianças e jovens