A história das crianças que plantaram um rio: a representação da infância na literatura infantojuvenil de Daniel da Rocha Leite

A representação da infância na literatura infantojuvenil de Daniel da Rocha Leite

  • Geovane Silva Belo Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Andréia Souza de Oliveira Universidade Federal Rural da Amazônia
Palavras-chave: Literatura infantojuvenil, Infância, Daniel Leite

Resumo

O trabalho tem como objetivo compreender como se constitui a representação da infância na obra “A história das crianças que plantaram um rio” de Daniel da Rocha Leite (2013). O autor apresenta um leque de elementos que carregam as identidades e força da memória, em diálogo com a cultura amazônica. É possível observar na narrativa a representação do imaginário e da atmosfera infantil na construção das personagens e do espaço literário. Daniel apresenta o rio como elemento central e formador das práticas culturais da criança. A construção do objeto de estudo levará em consideração as abordagens teóricas sobre Literatura infantil em Zilberman (2003) e sobre concepções de infância em Aries (1978). Além disso, a pesquisa considera importante compreender a constituição e a tradução simbólica da cultura amazônica na literatura infantil. A relação da criança com o rio está marcada pelo caráter maravilhoso. A obra traz à tona alguns traços identitários da infância como o brincar, o fascínio pela contação das narrativas orais e o universo onírico, estes elementos estão carregados das encantarias do rio, das questões sociais da região e da ludicidade própria da infância. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geovane Silva Belo, Universidade Federal Rural da Amazônia

Doutor em Educação e Mestre em Artes pela Universidade Federal do Pará. Professor Assistente do Curso de Letras da Universidade Federal Rural da Amazônia. Escritor vencedor do Prêmio Dalcídio Jurandir de Literatura em 2012.

Andréia Souza de Oliveira, Universidade Federal Rural da Amazônia

Graduada no Curso de Licenciatura em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Federal Rural da Amazônia- UFRA, pós-graduanda em Linguagem, Cultura e Formação Docente pela Universidade Federal Rural da Amazônia- UFRA, pós-graduanda em Língua portuguesa e Literatura no Contexto Educacional Pela Unicesumar. Participou do projeto de extensão TECITURA, participação no grupo de Estudo em Literatura, Cultura e Sociedade(GELICS) e bolsista no programa Residência Pedagógica.

Referências

ÁRIES, Philippe. História social da Criança e da Família. 2. Ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. Tradução: Antônio de Pádua Danesi. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

BARBOSA, Joaquim. Narrativas orais: Performance e memória. Manaus: UFMA, 2011.

BORBA, Ângela M. O brincar como um modo de ser e estar no mundo. In: Brasil, MEC/SEB Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

COSTA, Lucimara. O imaginário Amazônico em torno do rio em A história das crianças que plantaram um rio de Daniel da rocha leite. VI Ciella - Congresso internacional de Estudos Linguísticos e Literários da Amazônia, Universidade Federal do Pará, Belém, 2018.

COSTA, Lucimara; CAMELO, Marco. A história das crianças que plantaram um rio: a personificação do rio em uma história de águas e sonhos. In.: Ribanceira, Revista de Letras da Universidade do Estado do Pará. Belém: 4 (1): 48-61, out. 2017.

COSTA, Jaqueline. Identidade e Cultura amazônica em obras literárias infantojuvenil. Disponível em : http://www.ri.unir.br/jspui/bitstream/123456789/1733/1/POS_DEFESA_Jaqueline%20-%20DISSERTACAO%20de%20Mestrado%20com%20ficha%20catalografica.pdf. Acesso em: 30 jun. 2020.

FARIA,Maria Alice. Como usar a literatura infantil na sala de aula. 5 ed. 5ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2016.

FERNANDES, José Guilherme. Literatura brasileira de expressão amazônica, Literatura da Amazônia ou Literatura Amazônica? In.: Graphos , João Pessoa, 6. (2): 111-116, fev. 2004.

FREIBERGER, Rita. A literatura infantil aliada ao desenvolvimento da pedagogia de projetos interdisciplinares. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2010.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil Brasileira: História & Histórias. São Paulo: Ática, 1991.

LEITE, Daniel. A história das crianças que plantaram um rio. 1. ed. Belém: Ponto Press, 2013.

LIMA, Maria. A literatura paraense como fonte para o conhecimento da história da infância na Amazônia. In.: Arquivo Brasileira de Educação. v. 4. (9) Belo Horizonte. Dez. 2016.

LOUREIRO, Paes. João Paes Loureiro: obras reunidas. v.4. São Paulo: Escrituras Editora, 2000.

MARTINS, Joana Célia do Socorro Gomes de. Lamparinas para cegos: literatura acessível na Amazônia. Disponível em: http://ccse.uepa.br/ppged/wpcontent/uploads/dissertacoes/10/joana_celia_do_socorro_gomes_de_andrade_martins.pdf. Acesso em: 30 jun. 2020.

MEDEIROS, Luciana. Daniel é “Pero Vero” da literatura paraense. Disponível em: http://holofotevirtual.blogspot.com/2011/08/daniel-leite-e-peso-vero-da-literatura.html. Acesso em 21 de mai. 2019.

NUNES, Brisa.Da ilustração de livro infantil ao imaginário amazônico: mergulho em “A história das crianças que plantaram um rio”. Belém, 2016.

OLIVEIRA, Carla; DIAS, Adiclecio. A Criança e a Importância do Lúdico na Educação. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento.1ed.v. 13, Jan. 2017.

PORTAL Cultura. Circuito Entrevista - Daniel Leite. Disponível em: https://youtu.be/-G3AAKQ40t8. Acesso em: 21 mai. 2019.

SARMENTO, M. J. Imaginário e cultura da infância. Instituto de Estudos da Criança. Universidade de Minho, 2004.

SIMÕES, Maria Galvão; FARIAS, Cristiane Socorro. As narrativas orais e o imaginário das crianças ribeirinhas. Revista do Programa de Pós-graduação em Letras. Santa Maria: 27 (55): 09-128, dez. 2017.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. 11. ed. São Paulo: Atual e Ampliada, 2003.

Publicado
2020-07-27
Como Citar
Belo, G., & Oliveira, A. (2020). A história das crianças que plantaram um rio: a representação da infância na literatura infantojuvenil de Daniel da Rocha Leite. Revista Crioula, (25), 47-64. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.170330
Seção
Dossiê 25: Literaturas de língua portuguesa para crianças e jovens