Uma tradução da tradição em O pátio das sombras, de Mia Couto

Autores

  • Vera Maquêa Universidade do Estado do Mato Grosso - UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.170443

Palavras-chave:

Mia Couto, Tradição, Cultura, Leitura, Ilustração

Resumo

Esse artigo apresenta uma leitura do livro O pátio das sombras, de Mia Couto, classificado como conto para o público infanto-juvenil, com ilustrações do celebrado artista moçambicano Malangatana. O objetivo do texto é discutir a presença de elementos da cultura do povo Maconde, do norte de Moçambique, e a forma como Mia Couto coloca em diálogo a tradição cultural e a criação literária, ressignificando aspectos de práticas culturais no âmbito da modernidade. Ao realizar esse procedimento, o autor estabelece uma ponte entre a tradição e o leitor, reafirmando o investimento que tem feito ao longo de sua produção como viajante entre culturas e tradutor de experiências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Maquêa, Universidade do Estado do Mato Grosso - UNEMAT

Possui Graduação em Língua Portuguesa e Inglesa e respectivas Literaturas pela Universidade do Estado de Mato Grosso (1992), Especialização em Literatura Brasileira pela Universidade Católica de Minas Gerais - PUC/MG (1996); Mestrado em Letras (Literatura Brasileira) pela Universidade Federal do Paraná (1999) e Doutorado em Letras (Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa) pela Universidade de São Paulo (2007). Realizou estágio de doutorado na Universidade de Lisboa (2006). Realizou Estágio de Pós-doutorado na Université Sorbonne-Nouvelle - Paris 3 (2010-2011). Atualmente é professora Adjunta da Universidade do Estado de Mato Grosso, atuando principalmente nos seguintes temas: Literatura Comparada, Literaturas Africanas, Literatura, Memória e Política. Coordena o Projeto de pesquisa “A condição provisória do presente: questões de literatura e política”. É integrante do Centro de Pesquisas em Literatura - CEPLIT- UNEMAT, do Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da UNEMAT - PPGEL (Mestrado e Doutorado) e do Programa de Mestrado profissional em Letras - PROFLetras da UNEMAT.

Referências

CANDIDO, Antonio. A literatura é uma transfiguração da realidade. Entrevista a Luís Augusto Fischer, Homero Araújo, Ian Alexander, Marcelo Frizon e Tatiana Tavares. Belo Horizonte: Revista O eixo e a roda: v. 20, n. 1, 2011 (p.156-162)

COUTO, Mia. O pátio das sombras. Ilustrações de Malangatana, vol. 10. In: Contos de Moçambique, São Paulo: Kapulana, 2018

DELUMEAU, Jean. História do medo no ocidente: 1300-1800 – uma cidade sitiada. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LINDEN, Sophie van der. Para ler o livro ilustrado. Trad. de Dorothée de Bruchard. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

BENJAMIN, Walter. “Livros infantis antigos e esquecidos”. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1985.

CAVACAS, F.; CHAVES, R. e MACÊDO, Tania (Organizadoras). Mia Couto: um convite à diferença. São Paulo: Humanitas, 2013.

GREGORIN FILHO, José Nicolau. Mia Couto: lugares da infância. In: CAVACAS, F.; CHAVES, R. e MACÊDO, Tania (Organizadoras). Mia Couto: um convite à diferença. São Paulo: Humanitas, 2013. (p.337-346)

MACÊDO, Tania. “Provocações: uma leitura de A chuva pasmada”. In: CAVACAS, F.; CHAVES, R. e MACÊDO, Tania (Organizadoras). Mia Couto: um convite à diferença. São Paulo: Humanitas, 2013. (p. 347-354)

RUIZ, Regina Célia. (RESENHA) “O pátio das sombras: a representação da morte na releitura de Mia Couto”. In: Revista Literartes, n. 9 | 2018. (p.209-214). Acessado em 28 de abril de 2020. https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/153210/149933

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Maquêa, V. (2020). Uma tradução da tradição em O pátio das sombras, de Mia Couto. Revista Crioula, (25), 357-366. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.170443