Mãe preta e Barco negro: A mesma melodia para duas tragédias diferentes

Autores

  • Riccardo Cocchi Univeristà degli Studi di Torino

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.177102

Palavras-chave:

Fado, Lusofonia, Negro

Resumo

Neste artigo são analisados e comparados dois fados, isto é, a Mãe preta e o Barco negro, cujas letras diferentes – que, entretanto, se assentam na mesma base melódica – remetem, respetivamente, para uma matriz lírico-temática afro-brasileira e portuguesa. A partir desse caso específico, pretende-se destacar a crucial, embora controversa, inter-relação que existe entre esses dois fados e o imaginário lusófono próprio de Portugal, Brasil e dos PALOP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGIER, Michel. As mães pretas do Ilê Aiyê: nota sobre o espaço mediano da cultura. In:

Afro-Ásia. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais (UFBA): 18: p. 198-203, 1996.

LOUDE, Jean-Yves. Casa do Fado: o caso mãe preta. In: Lisboa na cidade negra. Lisboa: Dom Quixote, 2005, p. 195-199.

OLIVA, Osmar Pereira. Travessias do “barco negro – O sequestro da mãe negra. In: Interdisciplinar – Revista de Estudos em Língua e Literatura. São Cristóvão: UFS, v. 25: p. 77-94, mai./ago. 2016.

SANTOS, Vítor Pavão dos. Barco negro (1956 – 1961). In: Amália: uma biografia. Lisboa: Contexto, 1987, p. 121-143.

TINHORÃO, José Ramos. Fado: dança do Brasil, cantar de Lisboa: o fim de um mito. Lisboa: Caminho, 1994.

Downloads

Publicado

2020-03-24

Como Citar

Cocchi, R. (2020). Mãe preta e Barco negro: A mesma melodia para duas tragédias diferentes. Revista Crioula, (26), 151-161. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.177102

Edição

Seção

Dossiê 26: Relações entre literatura e música na produção de língua portuguesa