EXÍLIO, FRONTEIRA E FOME EM VIDAS SECAS

Autores

  • Fabiano Venturotti Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2008.54013

Palavras-chave:

Graciliano Ramos, indivíduo, seca, exílio, linguagem

Resumo

NO NORDESTE BRASILEIRO, UMA FAMÍLIA DE RETIRANTES FOGE DA SECA E DA OPRESSÃO. ESTE ARTIGO TRATARÁ ESTE TEMA DO FAMOSO ROMANCE VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS, OBSERVANDO A EQUILIBRADA ANÁLISE SOCIOLÓGICA E PSICOLÓGICA DESENVOLVIDA PELO AUTOR PARA EXPRESSAR A SITUAÇÃO DO SERTANEJO FABIANO, HOMEM DE INTELIGÊNCIA LIMITADA, VÍTIMA DAS CONDIÇÕES NATURAIS E SOCIAIS. HOMEM SEM INICIATIVA, SEM CONSCIÊNCIA DE CLASSE E PASSIVO, METÁFORA DA CONDIÇÃO COLETIVA DE UMA SITUAÇÃO VERÍDICA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiano Venturotti, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestrando em Estudos Literários. Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Downloads

Publicado

2008-05-01

Como Citar

Venturotti, F. (2008). EXÍLIO, FRONTEIRA E FOME EM VIDAS SECAS. Revista Crioula, (3). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2008.54013