FLORBELA ESPANCA: O DEVIR MONSTRO DE UMA POÉTICA FEMININA E FRAGMENTADA

Autores

  • Renata Bonfim Universidade Federal de Sergipe (UFS)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2010.55257

Palavras-chave:

Polifonia, Poesia, Arquétipos, Florbela Espanca

Resumo

A POÉTICA DE FLORBELA ESPANCA É POLIFÔNICA POR ABARCAR UMA MULTIPLICIDADE DE VOZES SOCIAIS E SEUS RESPECTIVOS DISCURSOS, DENTRE ESTAS VOZES ARQUETÍPICAS FEMININAS EXPRESSAS NA SUA POESIA, ANALISA-SE NESTE ARTIGO AS DE LILITH, EVA E MARIA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Bonfim, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Mestrado pela UFS, pesquisa intitulada: Vozes femininas: a polifonia arquetípica em Florbela Espanca.

Downloads

Publicado

2010-05-01

Como Citar

Bonfim, R. (2010). FLORBELA ESPANCA: O DEVIR MONSTRO DE UMA POÉTICA FEMININA E FRAGMENTADA. Revista Crioula, (7). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2010.55257