[1]
J. A. Coswosk, “Gritos insurgentes em carne viva e hashtag: #Paremdenosmatar e o escrever contra o genocídio do negro brasileiro”, Rev. Crioula, vol. 1, nº 23, p. 154-166, ago. 2019.