[1]
L. B. Leal, “Lee-Li Yang: a radicalização do fingimento poetico”, Rev. Crioula, nº 24, p. 193-204, dez. 2019.