Chamada para artigos: Vol. 14, n. 28 (segundo semestre de 2022): "ALÉM DA TAPROBANA... MEMÓRIAS GLORIOSAS": OS LUSÍADAS 450 ANOS

2021-09-12

“Além da Taprobana ... Memórias gloriosas”: Os Lusíadas 450 anos

 

Mas, em tanto que cegos e sedentos

Andais de vosso sangue, ó gente insana,

Não faltaram cristãos atrevimentos

Nesta pequena casa lusitana.

De África tem marítimos assentos;

E na Ásia mais que todas soberana;

Na quarta parte nova os campos ara;

E, se mais mundo houvesse, lá chegara.

 

Na estrofe 152 do livro VII, Luís de Camões mapeia os quatro cantos do globo terrestre. No âmbito da empresa Ultramarina impulsionada pela Coroa, a gente lusitana abriu caminhos para uma nova configuração da geografia do mundo. As Conquistas espargiram-se pelas costas de África, onde os portugueses estabeleceram os “marítimos assentos”, isto é, entrepostos instalados às margens do continente para promover o circuito do Comércio Triangular. A rota avançou para a dilatada Ásia, “[a terra] mais que todas soberana”. E, por último, atingiu a América, a “quarta parte nova” advinda das Grandes Navegações.

Para celebrar os 450 anos da publicação de Os Lusíadas, a Revista Desassossego presta um tributo às ressonâncias do poema heroico camoniano para além da casa portuguesa, com uma singela homenagem às traduções de Os Lusíadas para diversos idiomas do tronco asiático, tais como o japonês, chinês, coreano, malayalam e koncani. Em fase de andamento, o poema épico de Camões receberá uma versão para a língua indonésia, bem como para a hindi. Entre outras iniciativas, o Auto de Anfitrião também foi traduzido para o farsi.

Em atenção a esse expressivo corpus, tão pouco conhecido pelo público em geral, o presente número da Revista Desassossego convida também tradutores, editores, pesquisadores e/ou especialistas para a submissão de textos científicos referentes à obra de Camões. Assim, são temas pertinentes a esta chamada: o estudo das traduções realizadas do original camoniano; a relação do poema épico com a Europa, África, Ásia e América; a recepção da narrativa camoniana nos demais países lusófonos ou não-lusófonos; a repercussão de Os Lusíadas no campo das artes de ontem e hoje; a representação do peregrino em Os Lusíadas, entre outros temas vinculados direta ou indiretamente com a poesia de Camões.

 

Prazo para entrega

30 de Junho de 2022

 

Normas para submissão: https://www.revistas.usp.br/desassossego/about/submissions

 

Editores convidados

Adma Fadul Muhana (Professora DLCV/USP)

Mauricio Massahiro Nishihata (Doutor em Literatura Portuguesa/USP)

 

Editores executivos

Carlos Gontijo Rosa (PUC-SP/FAPESP)

Rosely de Fátima Silva (doutoranda de Literatura Portuguesa/USP)

 

Editoras-chefe

Monica Muniz de Souza Simas (Professora DLCV/USP)

Paola Poma (Professora DLCV/USP)