"I FUTURISTI" E OS FUTURISTAS DE "ORPHEU" (SANTA-RITA PINTOR E ALMADA NEGREIROS)

Autores

  • Carlos Paulo Martínez Pereiro Universidade da Corunha / Professor Catedrático

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v7i14p57-73

Palavras-chave:

PALAVRAS-CHAVE, Orpheu, futurismo, interartes, Almada, Santa-Rita / KEYWORDS, futurism, inter-arts, Santa-Rita.

Resumo

I futuristi e os futuristas de Orpheu

(Santa-Rita Pintor e Almada Negreiros)

RESUMO: Este artigo parte da (re)conhecida ideia almadiana de a revista Orpheu ter representado o “encontro português das letras e da pintura” – isto é, o entrecruzado affaire verbale et visuelle que a delimita de maneira basilar e a que a publicação obedece como princípio reitor. Trata-se, por um lado, de analisar criticamente o obstinado rigor interartístico derivado da dupla obediência criativa do (para)futurista e poliapto criador Almada Negreiros e, por outro lado, de dissertar, in absentia, dos quatro hors-texte duplos do (pro)futurista e mitificador Santa-Rita Pintor, reproduzidos no segundo número da efémera e marcante publicação literária portuguesa.

Destarte, inter alia, além de dissertarmos sobre a questão dos futuristi primários no que diz respeito desses dois ‘futuristas derivados’, ponderando a pensée contraditória e o pensum amalgamático que alicerzam a sua elaboração, procuramos ler as transitivas e concretas criações em palavras e/ou imagens de Almada e Santa-Rita – isto é, distantes de qualquer ‘imaculada concepção’, pretendemos decifrá-las, decodificá-las e/ou interpretá-las dentro dos referentes programáticos e efetivos de um futurismo tou court

 

I futuristi and the Futurists of Orpheu

(Santa-Rita Pintor and Almada Negreiros)

ABSTRACT: This article takes as its starting point the (well-) known Almadian idea that the magazine Orpheu represented the “Portuguese meeting point for literature and painting” – that is, the crossroads for affaire verbale et visuelle which defines it fundamentally and which the publication takes as its guiding principle. It is our intention, on the one hand, to review the obstinate inter-artistic rigor which is derived from the dual creative obedience to the (para) futuristic and multi-faceted creator Almada Negreiros and, on the other hand, to discuss, in absentia, of the four dual hors-texte by the (pro) futuristic myth-maker Santa-Rita Pintor, reproduced in the second number of this ephemeral and remarkable Portuguese literary publication.

Thus, inter alia, in addition to discussing the question of the first futuristi with respect to these two 'derived futurists', considering the contradictory pensée and the amalgamated pensum that lay the foundation for their preparation, we endeavour to read the transitive and concrete creations in the words and / or pictures of Almada and Santa-Rita – that is, far from any 'immaculate conception', we aim to decipher them, decode them and / or interpret them within the programmatic and effective respect of a tou court futurism.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Paulo Martínez Pereiro, Universidade da Corunha / Professor Catedrático

Carlos Paulo Martínez Pereiro (A Corunha, Galiza – Espanha, 1955) Doutor pela Universidade de Santiago de Compostela (1990), com tese sobre a obra narrativa e pictórica de Almada Negreiros, é Professor Catedrático da Área de Filologia Galega e Portuguesa do Departamento de Galego-Português, Francês e Lingüística da Universidade da Corunha e, desde 1997, Coordenador Científico e Editorial das Publicações (bilingues) da Biblioteca-Arquivo Teatral ‘Francisco Pillado Maior’, em que têm visto a luz mais de 70 volumes.

Tem dirigido diversos projetos de investigação competitivos e difundido os resultados do seu labor investigador em numerosas edições, monografias, artigos e intervenções em diferentes eventos científicos. Por este trabalho que, além da Literatura Portuguesa, foca também as literaturas Brasileira, Galega e Medieval Galego-Portuguesa, assim como as relações entre arte e escrita na contemporaneidade, recebeu, entre outros diversos reconhecimentos, o “Prêmio ‘Xunta de Galicia’ de Investigação na Área de Humanidades”, em 1992, o “Prêmio ‘Espiral Maior’ de Ensaio”, em 2000, ou por duas ocasiões, em 2007 e 2010, foi finalista do “Prêmio de Ensaio da Associação de Escritores em Língua Galega”.

Tem publicado, entre outras, as monografias As cantigas de Fernan Paez de Tamalancos – Edição crítica (1992), Au sujet des chevaux in-existants (1992), Natura das Animalhas – Bestiario medieval da lírica profana galego-portuguesa (1996), A Pintura nas Palavras – A Engomadeira de Almada Negreiros: Uma Novela em Chave Plástica (1996), Hospital das Letras – Ensaios e in(ter)vencións literarias (1997), Razões de fogo, versos fabricados – Sonetos dos séculos XV, XVI e XVII (1999), A indócil liberdade de nomear – Por volta da interpretatio nominis na literatura trovadoresca (2000), Querer crer entrever. Expresións críticas de reflexión e leitura (2007), Camilo Castelo Branco e as duas comédias do Morgado de Fafe (2008) ou A man que caligrafando pensa – Do plástico-escritural e da manuscrita novoneyriana (2010).

Referências

ALBUQUERQUE, João. “A emancipação crística do homem segundo Almada Negreiros”. Revista de História da Arte, n. 2, Lisboa, Instituto de História da Arte (FCSH-UNL), p. 218-231, 2014.

ALMADA NEGREIROS, José de. Ficções. Ed. Fernando Cabral Martins, Luis Manuel Gaspar, Mariana Pinto dos Santos. Lisboa: Assírio & Alvim, 2001.

__________. Manifestos e conferências. Ed. Fernando Cabral Martins, Luis Manuel Gaspar, Mariana Pinto dos Santos, Sara Afonso Ferreira. Lisboa: Assírio & Alvim, 2006.

DIX, Steffen. “O ano de 1915. Um mundo em fragmentos e a normalização dos extremos”. In: DIX, Steffen (Org.). 1915 – O ano de Orpheu. Lisboa: Tinta da China, p. 15-34, 2015.

Futurismo & Futurisme. Catálogo da exposição do Palazzio Grassi. Venezia: Bompiani, 1986.

GREENE, Vivien (Ed.). Italian Futurism (1909-1944). Reconstructing the universe. Catálogo da exposição do Museu Guggenheim. New York: Guggenheim Museum Publications, 2014.

JOUANNAIS, Jean-Ives. Artistes sans oeuvres. “I would prefer not to”. Nouvelle édition augmentée d’une préface d’Enrique Vila-Matas. Paris: Gallimard, 2009.

MARTÍNEZ PEREIRO, Carlos Paulo. A pintura nas palavras – A Engomadeira de Almada Negreiros: Uma novela em chave plástica. Santiago de Compostela: Edicións Laiovento, 1996.

__________. “De pormenores e de pigmentos letrados”. Colóquio/Letras, n. 185, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, p. 22-41, 2014.

MONTAIGNE, Michel de. Les Essais. Traduction intégrale en français moderne. Ed. André Lanly. Paris: Gallimard, 2009.

MOURÃO-FERREIRA, David. “Almada, ficcionista”. In: MOURÃO-FERREIRA, David. Sob o mesmo tecto – Estudos sobre autores de língua portuguesa. Lisboa: Presença, p. 135-173, 1989.

Orpheu. Edição facsimilada. Lisboa: Contexto, 1989.

PAZ, Octavio. “Lectura y contemplación”. In: PAZ, Octavio. Sombra de obras. Arte y literatura. Barcelona: Seix Barral, p. 13-46, 1996.

PIMENTA, Alberto. “Almada Negreiros e a medicina das cores”. Colóquio/Letras, n. 79, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, p. 23-29, 1984.

SGARBI, Vittorio. L’arte è contemporanea ovvero l’arte di vedere l’arte (Con un dialogo tra Gillo Dorffles e Vittorio Sgarbi). Milano: Bompiani, 2012.

SERRA, Filomena. “Il n’y a pas de hors-texte – Guilherme de Santa-Rita, um artista sem obra?”. In: DIX, Steffen (Org.). 1915 – O ano de Orpheu. Lisboa: Tinta da China, p. 389-405, 2015.

VILA-MATAS, Enrique. “Préface: Double shandy”. Trad. André Gabastou. In: JOUANNAIS, Jean-Ives. Artistes sans oeuvres. “I would prefer not to”. Paris: Gallimard, p. 11-25, 2009.

Downloads

Publicado

2016-02-15

Como Citar

Pereiro, C. P. M. (2016). "I FUTURISTI" E OS FUTURISTAS DE "ORPHEU" (SANTA-RITA PINTOR E ALMADA NEGREIROS). Revista Desassossego, 7(14), 57-73. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v7i14p57-73