A ESCRITA FEMININA EM FAZES-ME FALTA: CORPO MORTO, CORPUS DESCONTRUÍDO

Palavras-chave: Escrita Feminina, Inês Pedrosa, descontrução, mulher-narrativa

Resumo

O presente estudo objetiva apresentar como na obra Fazes-me Falta, de Inês Pedrosa, uma das mais significativas vozes da Literatura Contemporânea Portuguesa, a autora, valendo-se da Escrita Feminina, empreende uma crítica à condição da mulher em nosso atual contexto ao mesmo tempo em que aproxima essa condição ao processo de desconstrução da tessitura do romance. Ou seja, almeja-se observar a fusão que se estabelece entre o corpo da personagem feminina e o corpus narrativo em seu processo de (des)construção. De cunho exploratório e biográfico, e recorrendo aos conceitos de Escrita Feminina, a pesquisa evidencia-nos uma narrativa questionadora do paradigma oficial e a configuração de uma mulher-narrativa, marcada pela incompletude e fragmentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana Navas, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP)
Pós-doutora pela Universidade de Aveiro e doutora em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Atua como professora no Programa de Estudos Pós-Graduados da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Suas pesquisas concentram-se nas tendências da literatura portuguesa contemporânea, mais especificamente, nos romances de António Lobo Antunes. Dentre suas produções, destacam-se: Narcisismo discursivo e metaficção – Lobo Antunes e a revolução do romance (2009) e Figurações da escrita (2013).
Telma Regina Ventura, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP)

Mestranda em Literatura e Crítica Literára pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), cuja dissertação intitula-se: "Narradoras e Narrativas: A escrita intertextual de Inês Pedrosa".

Pesquisadora bolsista CAPES, o escopo da pesquisa contempla as Literaturas de Língua Portuguesa Contemporâneas, com ênfase nas seguintes temáticas: Prosa Poética ; (Neo)Barroco ; Diálogo Interartes ; Literatura Fantástica ; Erotismo.

Referências

PEDROSA, Inês. Fazes-me Falta. São Paulo: Planeta, 2003.

BARTHES, Roland. O Prazer do Texto. São Paulo: Perspectiva, 2013.

BATAILLE, Georges. O Erotismo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

BRANCO, Lúcia Castello. A Traição de Penélope: Uma Leitura da Escrita Feminina da Memória. Tese de Doutorado – UFMG, Belo Horizonte, 1990.

______. O que é Escrita Feminina. São Paulo: Brasiliense, 1991.

DIAS, Maria Heloísa Martins. “O Mestre, de Ana Hatherly: Uma insólita aprendizagem”. São José do Rio Preto, UNESP: Revista Ângulo, 125, Abr.-Set., 2011. p.98-105. Disponível em: http://www.fatea.br/seer/index.php/angulo/article/viewFile/801/564.

GOMES, Álvaro Cardoso. A Voz Itinerante. São Paulo: Edusp, 1993.

REAL, Miguel. O Romance Português Contemporâneo: 1950-2010. Lisboa: Editorial Caminho, 2012.

SIMÕES, Maria de Lourdes N. “Para não dizer que não falei dos cravos”. IN: ____. As Razões do Imaginário – Comunicar em Tempos de Revolução. Salvador: UESC, 1997.

Publicado
2018-04-05
Como Citar
Navas, D., & Ventura, T. (2018). A ESCRITA FEMININA EM FAZES-ME FALTA: CORPO MORTO, CORPUS DESCONTRUÍDO. Revista Desassossego, 9(18), 85-100. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v9i18p85-100