Limiares entre ficção e história: elementos da personagem romanesca em Memórias de Branca Dias, de Miguel Real

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v11i20p286-300

Palavras-chave:

História e literatura, Branca Dias, Metaficção historiográfica

Resumo

A metaficção historiográfica permite que a autoria dê “asas” aos mitos, elaborando personagens com maior ou menor reflexão crítica nas narrativas. O presente ensaio é um estudo que parte das relações entre Literatura e História no romance Memórias de Branca Dias (2009), de Miguel Real, publicado pela primeira vez em 2003, a fim de analisar a protagonista deste romance. A figura da Branca Dias real tornou-se um mito, lendas surgiram em torno deste nome; é uma personagem in presentia, em algumas ficções, in absentia em outras. Buscamos identificar, com base n’A construção da Personagem Romanesca (2008), de Cristina Vieira, elementos que mostram um discurso crítico-reflexivo por parte da autoria de Miguel Real, o qual nos permite rememorar Branca Dias como uma mulher de luta, pois o romance, além de possibilitar que se retorne ao Brasil colonial, mostra a mão férrea da Igreja Católica no período da Inquisição, contra a qual Branca lutou a vida inteira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aldinida de Medeiros Souza, Universidade Estadual da Paraíba

Profa. do Centro de Humanidades da Universidade Estadual da Paraíba, Brasil

Doutora em Literatura. Professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Interculturalidade (PPGLI) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Coordenadora e líder do Grupo Interdisciplinar de Estudos Literários Lusófonos (GIELLus), Brasil

Andréia Rafael de Araújo, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Mestra em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Brasil. Integrante do Grupo Interdisciplinar de Estudos Literários Lusófonos (GIELLus/CNPq), Brasil.

Referências

AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel de. O romance: história e sistema de um gênero literário. In: Teoria da Literatura. 8. ed., Coimbra: Almedina, 2009.

CANDIDO, Antonio. A personagem do romance. In: A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 1985.

HUTCHEON, Linda. Poética do Pós-Modernismo: história, teoria e ficção, Rio de Janeiro, Imago, 1991.

MEDEIROS, Aldinida. Mulheres no romance histórico contemporâneo português. Curitiba: Appris Editora, 2019.

MEDEIROS, Aldinida. Memórias de Branca Dias: um discurso necessário à memória dos judeus perseguidos. Revista Historiæ, 6 (1), P. 9 – 27. Recuperado de Disponível em: https://periodicos.furg.br/hist/article/view/5139 Acesso em: 10/01/2020

REAL, Miguel. Memórias de Branca Dias. 3. ed. Lisboa: Quidinovi, 2009.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Dicionário de Narratologia. 7. ed., Coimbra: Almedina, 2007.

VIEIRA, Cristina Maria da Costa. A Construção da Personagem Romanesca: Processos Definidores. Lisboa: Colibri, 2008.

Downloads

Publicado

2019-06-30

Como Citar

Souza, A. de M., & Araújo, A. R. de . (2019). Limiares entre ficção e história: elementos da personagem romanesca em Memórias de Branca Dias, de Miguel Real. Revista Desassossego, 11(20), 286-300. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v11i20p286-300