AMOR OU DESEJO MIMÉTICO: A NARRATIVA CAMILIANA SOB UMA NOVA PERSPECTIVA

Autores

  • Ana Luisa Oliveira Doutoranda Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v2i3p70-81

Palavras-chave:

Camilo Castelo Branco, Réné Girard, Desejo Mimético

Resumo

Ao falarmos de Camilo Castelo Branco, uma das primeiras imagens que fazemos é a de romancista passional cujas histórias versam, em geral, sobre o amor, um sentimento puro e profundo, idealizado à moda romântica. Tal conceito acerca da ficção camiliana muito se deve em função da essencialidade passional atribuída pela crítica tradicional à obra do escritor de São Miguel de Seide. Entretanto, ao operarmos uma leitura despojada dos correntes estereótipos, notamos a presença indubitável de outros agentes, talvez mais indissociáveis à narrativa camiliana do que aqueles tradicionalmente abordados, tais como o desejo. Vale ressaltar que, no presente estudo, tomamos o desejo segundo a perspectiva de René Girard, em "Mensonge Romantique et Vérité Romannesque". Para Girard, na literatura romanesca sobretudo, o desejo estrutura-se em uma relação triangular, na qual entre o sujeito e o objeto almejado está, sempre, um terceiro elemento, seja ele um modelo adquirido ou um mediador externo. Assim posto, nesta apreciação,
buscar-se-á elaborar uma nova perspectiva acerca da narrativa camiliana, um discurso no qual o desejo mimético aflora como mote fulcral. Para tanto, valer-nos-emos de dois romances centrais para a discussão: "Onde está a Felicidade?" e "Um Homem de Brios", ambos de 1856.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-06-10

Como Citar

Oliveira, A. L. (2010). AMOR OU DESEJO MIMÉTICO: A NARRATIVA CAMILIANA SOB UMA NOVA PERSPECTIVA. Revista Desassossego, 2(3), 70-81. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v2i3p70-81