Correspondência de Antônio Vieira (1646-1694): O Decoro

  • João Adolfo Hansen Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas - DLCV, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo - FFLCH-USP.
Palavras-chave: Artes dictaminis, imitação, decoro, retórica, correspondência, Padre Antônio Vieira

Resumo

Os dois subgêneros epistolares desenvolvidos por Antônio Vieira entre 1646 e 1696, a carta familiar e a carta negocial, reatualizam os preceitos das artes dictaminis antigas. Escritas como imitação verossímil e decorosa de fala de pessoa natural, as canas produzem a presença do corpo e voz do remetente, reativando neo-escolasticamente as técnicas da sermocinatio latina. A comunicação tratará de categorias retóricas e teológico-políticas das articulações dos dois subgêneros: a - a enunciação ou o contrato enunciativo, em que caracteres e afetos constantes qualificam o remetente como tipo discreto que se dirige ao destinatário aplicando decoros específicos da pessoa e da circunstância; b - o enunciado ou a narração, em que as tópicas da invenção e as partes da disposição constituem a verossimilhança adequada ao subgênero e à matéria exposta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Adolfo Hansen, Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas - DLCV, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo - FFLCH-USP.
Professor do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas - DLCV, da Faculdade de Filosofia,  Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo - FFLCH-USP.
Publicado
2000-12-09
Como Citar
Hansen, J. A. (2000). Correspondência de Antônio Vieira (1646-1694): O Decoro. Discurso, (31), 259-284. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2000.38040
Seção
Nao definda