Ontologia negativa em psicanálise: entre ética e epistemologia

Autores

  • Christian Ingo Lenz Dunker Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e Universidade São Marcos

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2007.38078

Palavras-chave:

psicanálise, filosofia, ontologia, clínica

Resumo

O objetivo deste artigo é explorar algumas relações teóricas e clínicas decorrentes das concepções de real e realidade na obra de Lacan. O argumento central é de que a disparidade entre estas duas noções se desdobra em uma importante tensão, a ser mantida, entre ética e epistemologia, no quadro da apreensão filosófica do tratamento psicanalítico. Salienta-se como a perspectiva assumida pelo programa de uma ontologia negativa permite traçar uma linha de diálogo entre diversos projetos clínico teóricos da psicanálise contemporânea, bem como situar alguns marcos significativos na relação entre psicanálise e filosofia. O artigo levanta ainda duas questões que surgem como significativas para os desdobramentos de uma ontologia do negativo em psicanálise: (1) a sua relação com o paradigma da subjetividade melancólica, que caracteriza o surgimento histórico da psicanálise na modernidade; e (2) a sua relação com os traços distintivos que marcam o pensamento sobre o real nas filosofias do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christian Ingo Lenz Dunker, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e Universidade São Marcos

Professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo  e do Mestrado em Psicologia da Universidade São Marcos -Unimarco

Downloads

Publicado

2007-06-09

Como Citar

Dunker, C. I. L. (2007). Ontologia negativa em psicanálise: entre ética e epistemologia. Discurso, (36), 217-242. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2007.38078

Edição

Seção

Nao definda