Estratégias para evitar a perda de biodiversidade na Amazônia

Autores

  • Ima Célia Guimarães Vieira Museu Paraense Emílio Goeldi
  • José Maria Cardoso da Silva Conservação Internacional
  • Peter Mann de Toledo MCT; Rede Geoma

Palavras-chave:

Amazônia, biodiversidade, território sustentável, desflorestamento

Resumo

A SOCIEDADE brasileira recebe, anualmente, a estimativa de perda de floresta na Amazônia por meio da taxa de desflorestamento divulgada pelo Inpe, a qual, em 2004, foi de aproximadamente 26.130 km² . O que não se conhece é o quanto de recursos naturais se perde a cada quilômetro quadrado de floresta destruída. Neste trabalho, apresentamos números concretos desta perda, baseados em estudos recentes sobre a densidade de plantas e de alguns grupos de animais na Amazônia. Com base nisso, defendemos a idéia de que não há necessidade de se ampliar o desflorestamento na região e que, portanto, qualquer licença de desmatamento deveria ser proibida na Amazônia. Sugerimos também que o sistema de ciência e tecnologia regional deve ser descentralizado através do desenvolvimento de programas de pesquisa integrados, focalizados no desenho e no teste de modelos de territórios sustentáveis para os diferentes setores da região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2005-08-01

Como Citar

Vieira, I. C. G., Silva, J. M. C. da, & Toledo, P. M. de. (2005). Estratégias para evitar a perda de biodiversidade na Amazônia . Estudos Avançados, 19(54), 153-164. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10075

Edição

Seção

Dossiê Amazônia Brasileira II