Os riscos de extinção de sapos, rãs e pererecas em decorrência das alterações ambientais

Autores

  • Vanessa K. Verdade
  • Marianna Dixo
  • Felipe F. Curcio

Palavras-chave:

Anuros, Conservação, Declínio de anfíbios

Resumo

Cerca de 30% das espécies do grupo de sapos, rãs e pererecas sofrem ameaça de extinção, já tendo sido extintas 35 dessas espécies. Por apresentarem pele fina e permeável e, na maioria dos casos, fase larval que vive em ambiente aquático, esses animais são muito sensíveis a alterações tanto do ambiente aquático como do solo e do ar. O maior responsável pelos fatores geradores dessa crise é o estilo de vida da sociedade atual que produz altos índices de poluição, o aquecimento global, a invasão de espécies exóticas, o aumento da incidência de radiação ultravioleta e o surgimento de epidemias. Se não houver consciência da responsabilidade humana por essa crise e se não houver mudanças no seu modo de vida, essa ameaça se estenderá a todos, contemplando especialmente os humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2010-01-01

Como Citar

Verdade, V. K., Dixo, M., & Curcio, F. F. (2010). Os riscos de extinção de sapos, rãs e pererecas em decorrência das alterações ambientais . Estudos Avançados, 24(68), 161-172. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10473

Edição

Seção

Gestão e estudos ambientais