Um sistema de espaços livres para São Paulo

Autores

  • Maria Angela Faggin Pereira Leite

Palavras-chave:

Espaços livres, Sistemas, Esfera pública, Periodização

Resumo

O sistema de espaços livres urbanos constitui um complexo em inter-relação com outros sistemas - de drenagem, de transportes, de proteção - cujas funções podem com as dele coincidir ou apenas justapor-se, tecendo relações de conectividade e complementaridade com a preservação, a conservação e a requalificação ambientais, a circulação e a drenagem urbanas, as atividades de lazer, o imaginário, a memória e o convívio social públicos. Em São Paulo, esse sistema pode ser apenas precariamente nomeado, dado que o conjunto de espaços livres da cidade, desconectado de seu entorno edificado, não conforma uma rede articulada de elementos com localizações, desempenho e tamanhos variados, tal como sugerem o termo sistema e seus elementos constituintes. Sem as condições básicas de abrigar as exigências da esfera pública contemporânea, não pode ser entendido como espaço público associado à ideia de localização, acessibilidade e distribuição, lazer e conservação de recursos naturais, condição fundamental para o desempenho das liberdades públicas demandadas pela instância cultural da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2011-04-01

Como Citar

Leite, M. A. F. P. (2011). Um sistema de espaços livres para São Paulo. Estudos Avançados, 25(71), 159-174. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10604

Edição

Seção

Dossiê São Paulo, Hoje