A convivência democrática como politeísmo de valores

Autores

  • Bernardo Sorj Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

O artigo sustenta que a convivência democrática passa pela aceitação de que o politeísmo de valores é inerente à vida social. Argumentamos que o politeísmo de valores não deve ser confundido com o politeísmo religioso, e que todos os sistemas de crenças possuem valores contraditórios e seus conflitos respondem ao drama comum da condição humana e da vida em sociedade. Acreditar que existe um único valor "superior" ao qual todos os outros devem se submeter e se necessário eliminar abre o caminho para o totalitarismo, religioso ou secular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-04-01

Como Citar

Sorj, B. (2016). A convivência democrática como politeísmo de valores . Estudos Avançados, 30(86), 133-145. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/115085

Edição

Seção

As ciências sociais e a procura de sentido