Mário de Andrade e Richard Wagner na aurora do modernismo paulista

  • EDUARDO TADAFUMI SATO Universidade de São Paulo; Instituto de Estudos Brasileiros
Palavras-chave: Mário de Andrade, Richard Wagner, Modernismo, Música, Crítica

Resumo

O início da carreira intelectual de Mário de Andrade é marcado por aproximações com o compositor alemão Richard Wagner de diversas maneiras. No presente artigo, apresento três modos pelos quais os autores se encontram: o primeiro é a leitura que Mário faz da obra de Wagner; o segundo, parte da importância do compositor e seu projeto estético na história da música; o terceiro traz o caso da apresentação realizada por Oswald de Andrade que utiliza termos da ópera Parsifal. A partir desses, propõe-se uma leitura do pensamento musical de Mário de Andrade que pode ser utilizada de amparo para a compreensão do seu pensamento estético.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-05-01
Como Citar
SATO, E. (2017). Mário de Andrade e Richard Wagner na aurora do modernismo paulista. Estudos Avançados, 31(90), 253-264. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/137897
Seção
Mário de Andrade