Possível reconfiguração dos modelos educacionais pós-pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.34100.003

Palavras-chave:

Covid-19, Pós-pandemia, Educação básica, Escola, Aprendizagem.

Resumo

Neste artigo parte-se de aspectos gerais da gestão educacional em seus vários níveis, tocando na questão do isolamento social pelo evento da Covid-19 e nos impactos diversos dessa situação na educação de crianças, adolescentes e jovens. Aprofundamse especificamente questões ligadas à educação básica na situação de pandemia quanto à garantia possível das aprendizagens aos alunos, as diversidades das realidades sociais, a situação de professores e gestores, aspectos curriculares, relacionais e socioemocionais envolvidos no processo de isolamento e no retorno presencial nas escolas. Ao levantar possibilidades de vetores saudáveis no enfrentamento dessa realidade, pondera-se sobre as possibilidades de mudanças, pós-pandemia, no desenvolvimento da oferta educacional nas redes de ensino básico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardete A. Gatti, Fundação Carlos Chagas

Bernardete A. Gatti é doutora pela Universidade de Paris VII – Denis Diderot, pesquisadora consultora da Fundação Carlos Chagas e membro do Conselho Estadual de Educação e da Academia Paulista de Educação.

Referências

ANUÁRIO. Anuário Brasileiro da Educação Básica – 2019. São Paulo: Todos pela Educação; Editora Moderna, 2019.

BRASIL. (Constituição de 1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988.

_______. Congresso Nacional. Lei 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Casa Civil da Presidência da República,

_______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer 11/2020, de

de julho de 2020. Orientações Educacionais para a Realização de Aulas e Atividades Pedagógicas Presenciais e Não Presenciais no contexto da Pandemia. Brasília (DF), 2020.

BRUNER, J. Actos de dignificado: más allá de la revolución cognitiva. Madrid: Alianza

Editorial, 1998.

CARVALHO, J. S. Os ideais da formação humanista e o sentido da experiência escolar.

Educação e Pesquisa, v.43, n.4, p.1023-34, 2017.

CONJUVE. Juventudes e a Pandemia do Coronavirus. Relatório de Resultados, Junho

de 2020. Disponível em: <https://4fa1d1bc-0675-4684-8ee9-031db9be0aab.filesusr.

com/ugd/f0d618_41b201dbab994b44b00aabca41f971bb.pdf>. Acesso em: 10 ago.

CTE-IRB/IEDE. A Educação não pode esperar: ações para minimizar os impactos negativos à educação em razão das ações de enfrentamento ao novo coronavirus. Comitê

Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa e Interdisciplinaridade e Evidências no

Debate Educacional, junho 2020. Disponível em: <https://www.portaliede.com.br/

wp-content/uploads/2020/06/Estudo_A_Educa%C3%A7%C3%A3o_N%C3%A3o_

Pode_Esperar.pdf>. Acesso em: 8 ago. 2020.

INSTITUTO PENÍSULA. Relatório de Pesquisa. Sentimento e Percepção dos professores

brasileiros nos diferentes estágios do Corona Vírus no Brasil. Estágio Intermediário. Junho

de 2020. Disponível em: <https://www.institutopeninsula.org.br/pesquisa-sentimento-e-percepcao-dos-professores-nos-diferentes-estagios-do-coronavirus-no-brasil/>.

Acesso em: 3 ago. 2020.

LENT, R. O cérebro aprendiz: neuroplasticidade e educação. Rio de Janeiro: Atheneu,

MATURANA, H. Cognição, ciência e vida cotidiana. Belo Horizonte: Editora da

UFMG, 2001.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da

compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001.

PAULA, G. R.; BEBER, B. C.; BAGGIO, S. B.; PETRY, T. Neuropsicologia da aprendizagem. Revista Psicopedagogia, v.23, n.72, p.224-31, 2006.

PIAGET, J. A Formação do Símbolo na Criança. Imitação, jogo e sonho, imagem e

representação. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.

_______. Fazer e compreender. São Paulo: Melhoramentos; Edusp, 1978.

_______. A linguagem e o pensamento da criança. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

REIMERS, F. M.; SCHLEICHER, A. Educational Opportunity during the COVID-19

Pandemic. OCDE, 2020. Disponível em: <https://globaled.gse.harvard.edu/files/

geii/files/framework_guide_v2.pdf>. Acesso em: 7 ago. 2020.

SILVA JÚNIOR, C. A. Construção de um espaço público de formação. In: SILVA JÚNIOR, C. A. et al. (Org.) Por uma revolução no campo da formação de professores. São

Paulo: Editora Unesp, 2015.

UNDIME, ITAÚ SOCIAL, UNICEF, PLANO CDE E CIEB. Desafios das Secretarias Municipais de Educação, Relatório de Pesquisa, maio de 2020. Disponível em:

<https://undime.org.br/noticia/16-06-2020-13-14-undime-realiza-mapeamento-

-da-oferta-de-atividades-educacionais-nao-presenciais-nos-municipios-durante-a-pandemia>. Acesso em: 5 ago. 2020.

VIGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

_______. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos

superiores. São Paulo: Martins Fontes. 2007.

VILLAS BÔAS, L.; UNBEHAUM, S. (Coord.). Pesquisa: Educação escolar em tempos

de pandemia na visão de professoras/es da Educação Básica. Informe n.1. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2020. Disponível em: <https://www.fcc.org.br/fcc/educacao-pesquisa/educacao-escolar-em-tempos-de-pandemia-informe-n-1>. Acesso em:

ago. 2020.

WALLON, H. Les origines du caractère chez l’enfant. Les préludes du sentiment de pesonnalité. Boisvin; Paris: PUF, 1973.

_______. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

_______. Do ato ao pensamento: ensaio de psicologia comparada. Petrópolis: Vozes,

WENGER, E. Communities of Practice: Learning, Meaning, and Identity. Cambridge:

Cambridge University Press, 1988.

Downloads

Publicado

2020-12-02

Como Citar

Gatti, B. A. (2020). Possível reconfiguração dos modelos educacionais pós-pandemia. Estudos Avançados, 34(100), 29-42. https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.34100.003

Edição

Seção

Impactos da pandemia