A aventura sociológica de Florestan Fernandes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.34100.015

Palavras-chave:

Florestan Fernandes, Sociologia, Revolução burguesa, Relações raciais, Sociedade moderna no Brasil

Resumo

O objetivo do artigo é analisar a contribuição sociológica de Florestan Fernandes, sob variadas perspectivas: entender os motivos que explicam a vasta fortuna crítica existente sobre sua obra e trajetória; o escopo analítico das suas reflexões sobre a constituição da revolução burguesa no Brasil; as conexões entre relações raciais, preconceito e a estruturação da modernização brasileira. Finalmente, estabelece inferências entre os estudos sobre a trajetória e a obra do sociólogo maior do Brasil e os problemas do tempo presente, pondo em relevo o papel dos intelectuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Arminda do Nascimento Arruda, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo

Maria Arminda do Nascimento Arruda é professora titular do Departamento de Sociologia, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

Referências

ARRUDA, M. A. do N. A imagem do negro na obra de Florestan Fernandes. In: SCHWACZ, L.; QUEIROZ, R. da S. (Org.) Raça e diversidade. São Paulo: Edusp, 1996a.

___________. Dilemas do Brasil moderno: a questão racial na obra de Florestan Fernandes. In: MAIO, M. C.; VENTURA, R. (Org.) Raça ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996b.

___________. Prefácio. Uma sociologia do desterro intelectual. In: FERNANDES, F. Circuito fechado. São Paulo: Globo, 2005.

___________. Metrópole e cultura. São Paulo no meio século XX. São Paulo: Edusp, 2015.

ARRUDA, M. A. do N. El concepto de formación en tiempos críticos: esbozo de reflexión. Sociológica (Méx.) v.32, n.90, p.47-6, 2017.

___________. The contemporary relevance of Florestan Fernandes. Antropol. [online].

v.8, n.1, p.47-68, jan-abr. 2018.

___________. Florestan Fernandes e a sociologia da consciência social. Margem Esquerda, n.34., jun. 2020.

ARRUDA, M. A. do N.; GARCIA, S. G. Florestan Fernandes. Mestre da sociologia moderna. Brasília: Paralelo 15, 2003.

BASTOS, E. R.; BOTELHO, A. A questão racial e a revolução burguesa. In: D’INCAO,

M. A. (Org.) O saber militante. Ensaios sobre Florestan Fernandes. São Paulo: Paz e

Terra; Unesp, 1987.

___________. Horizontes das ciências sociais: pensamento brasileiro. In: MARTINS, C.

B.; MARTINS, H. T. S. (Org.). Horizontes das ciências sociais no Brasil: sociologia. São

Paulo: Anpocs, 2010.

BOTELHO, A.; BRASIL JUNIOR, A. Prefácio. A revolução burguesa no Brasil: cosmopolitismo sociológico e autocracia burguesa. In: FERNANDES, F. A revolução burguesa

no Brasil. Ensaio de interpretação sociológica. 6.ed. São Paulo: Contracorrente, 2020.

BOUSHEY H.; BRADEFORD DELONG, J.; STEINBAUM, M. After Piketty. The

agenda for econômicas and inequality. Cambridge MA; London: Harvard University

Press, 2017.

COHN, G. Ecletismo bem temperado. In: D’INCAO. M. A. (org). O Saber militante:

ensaios sobre Florestan Fernandes. São Paulo: Editora UNESP/Paz e Terra, 1987.

___________. A revolução burguesa no Brasil. In: MOTA, L. D. (org). Introdução ao

Brasil: um banquete no trópico. São Paulo: SENAC, 1999.

___________. A revolução burguesa no Brasil. Disponível em:

com.br>. Acesso em: 26 set. 2020.

COLLINS, C. Disponível em: . Acesso em: 1 maio 2020.

FERNANDES, F. Educação e sociedade. Dominus/Edusp, São Paulo, 1966.

___________. A revolução burguesa no Brasil. Ensaio de interpretação sociológica. Rio

de Janeiro: Zahar, 1975.

___________. O significado do protesto negro. São Paulo: Cortez, São Paulo: 1989.

___________. Circuito fechado. Quatro ensaios sobre o “poder institucional”. São Paulo:

Globo, 2005.

___________. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Globo, 2008. 2v.

___________. Entrevista. GALVÃO, W. N. (Org.) Sobre os primórdios da Faculdade de

Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. São Paulo: Edusp, 2020.

FERNANDES, F.; BASTIDE, R. Brancos e negros em São Paulo. São Paulo: Cia. Editora

Nacional, 1953.

JACKSON, L. C.; BLANCO, A. Sociologia no espelho. Ensaístas, cientistas sociais e críticos literários no Brasil e na Argentina (1930-1970). São Paulo: Editora 34, 2014.

JACKSON, L. C.; BLANCO, A. Vida e história na sociologia de Florestan Fernandes:

reflexões sobre o método da história de vida. Revista USP, n.29 mar-mai. 1996.

MARTINS, J. de S. Florestan: sociologia e consciência social no Brasil. São Paulo: Edusp,

NEVES, E.; COSTA, M. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

PIKETTY, T. Capital in the twenty-first century. Cambridge Ma; London, 2014.

___________. The economics of inequality. Cambridge Ma; London, 2015.

Downloads

Publicado

2020-12-02

Como Citar

Arruda, M. A. do N. (2020). A aventura sociológica de Florestan Fernandes. Estudos Avançados, 34(100), 243-260. https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.34100.015

Edição

Seção

Centenário de nascimento de Florestan Fernandes (1920-1995)