África e América do Sul: O futuro passa pela biodiversidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2021.35102.007

Palavras-chave:

Biodiversidade, América do Sul, África, Biotecnologia, Protocolo de Nagoya

Resumo

Este artigo tem como objetivo mostrar que a África e a América do Sul poderiam se beneficiar muito mais dos recursos que possuem em suas florestas tropicais. Isso ocorre porque a biodiversidade fortemente presente nos dois continentes é a base para o desenvolvimento de muitos medicamentos, pesticidas e outros produtos produzidos pela indústria química e farmacêutica, mas essas estão localizadas nas regiões mais desenvolvidas do planeta. O artigo lista os autores que abordaram a questão e propõem medidas que podem transformar esses continentes mais pobres de meros fornecedores de conhecimento de plantas em importantes fabricantes farmacêuticos. Discute-se que a biotecnologia será uma das disciplinas mais importantes em menos de trinta anos e ela precisa do conhecimento existente nas plantas e por isso a importância da biodiversidade. Também é discutido que a biopirataria prejudica ambas as regiões, mas felizmente e devido ao recente Protocolo de Nagoya, existem novas ferramentas para eliminar esse enorme problema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, A. F. de. A proteção dos conhecimentos tradicionais associados ao patrimônio genético da Amazônia Brasileira. Manaus: Plataforma Pública Direito. 2010.

ANDERSON-SPRECHER, A.; JIE, M. China considering major revisions on Biotechnology Regulations. Global Agricultural Information Network, 2015. GAIN report 14032 de 31/12/2014.

BECKER, B. K. Da preservação à utilização consciente da biodiversidade Amazônica. Petrópolis: Vozes, 2006.

CALIXTO, J. B.; SIQUEIRA, J. M. Desenvolvimento de medicamentos no Brasil: Desafios (The drug development in Brazil: Challenges). Gazeta Médica da Bahia, v.78, p.98-106, 2008.

CARRER, H.; BARBOSA, A. L.; RAMIRO, D. A. Biotecnologia na Agricultura. Revista de Estudos Avançados, v.24, n.70, 2010.

CDB – CONVENTION ON BIOLOGICAL DIVERSITY. Nagoya Protocol on Access to Genetic Resources and Fair and Equitable Sharing of Benefits Arising from their utilization on the Convention on Biological Diversity. Montreal, Canada. United Nations: Secretariat of Convention on Biological Diversity. 2011.

DICKEN, P. Global Shift: Mapping the changing contours of the world economy. 7 ed. London: Guilford Publications. 2015

FALEIRO, F. G. et al. Biotecnologia: estado da arte e aplicações na agropecuária. Brasília: Embrapa, 2011.

FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. The state of food security and nutrition in the world. Roma: FAO, 2017.

FARUQI, S. The business of Biodiversity. SSIR – Stanford Social Innovation Review, v.15, n.1, 2017.

FELDMANN, M. G.; SILVA, M. N. C. Currículo Relacional na Amazônia. Revista e-Curriculum, v.16, n.4, 2018.

FELDMANN, P. R. Management in Latin America: Threats and Opportunities in the Globalized World. New York: Springer, 2014.

KONDRATIEV, N. The long wave in economic life. Review of Economic Statistics, v.17, p.105- 15, 1925.

LOVEJOY, T. E. Climate Change and biodiversity. The energy and resources institute. Michigan: Yale University Press, 2006.

PACANARO, R. F. Biopirataria: falta de legislação específica. Piracicaba, 2010. Dissertação (Mestrado) – Unive4rsidade Metodista de Piracicaba.

PIMENTEL, V. et al. Biodiversidade brasileira como fonte da inovação farmacêutica: uma nova esperança? Revista do BNDES, n.43, p.41-9, jun. 2015.

RABITZ, F. Biopiracy after the Nagoya Protocol: Problem Structure, Regime Design and Implementation Challenges. Revista da Associação Brasileira de Ciência Política, v.19, n.2, p.30-53, 2015.

RIFKIN, J. O século da biotecnologia. São Paulo: Makron Books, 1999.

SCHUMPETER, J. Capitalism, socialism and democracy. London: Allen& Unwin, 1943.

SILVEIRA, J. M. F. J. et al. Biotecnologia e agricultura: da ciência e tecnologia aos impactos da inovação. São Paulo em Perspectiva, v.19, n.2, 2005.

WILSON, E. O. The creation: an appeal to save life on earth. New York: W.W. Norton, 2006.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

Feldmann, P. R. (2021). África e América do Sul: O futuro passa pela biodiversidade. Estudos Avançados, 35(102), 111-123. https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2021.35102.007