A questão regional: a hegemonia inacabada

Autores

  • Francisco de Oliveira Centro Brasileiro de Análise e Planejamento

Resumo

A Questão Regional, que no Brasil classificamente refere-se ao Nordeste, constituiu-se no século XIX, como resultado da forma de resolução das questões do mercado de trabalho e da terra, pela economia em expansão, no caso a cafeicultura capitalista do Sudeste. Depois de ter anulado seus concorrentes, pela violência física (repressão às revoluções regionais) e pelo uso dos recursos fiscais para autoincentivar-se, numa forma privatista, a burguesia paulista-cafeicultora revela-se incapaz para o exercício da hegemonia. Os anos 40 e 50 deste século foram a última oportunidade desperdiçada para reparar um processo fratuado e resolver a Questão Regional quando São Paulo não apenas sediava o poder industrial, como constituía a esperança. Novas forças sociais e políticas, complexamente maturadas nas duas últimas décadas, são agora os principais atores, aptos a resgatar o país e a Nação para a modernidade, mas a herança da hegemonia inacabada deixou um longo roteiro de desastres, que cabe, precisamente, desfazer. O estudo da Questão Regional, menos que um plaidoyer nordestino, pode ser a chave para a compreensão daquela herança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1993-08-01

Como Citar

Oliveira, F. de. (1993). A questão regional: a hegemonia inacabada . Estudos Avançados, 7(18), 43-63. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9622

Edição

Seção

Textos