[1]
E. T. Gimenez, “ Graciliano Ramos, uma poética da insignificância ”, Estud. av., vol. 23, nº 67, p. 231-250, jan. 2009.