Compartilhamento de risco na América Latina

Autores

  • Breno Augusto da Silva e Silva Universidade Federal de Viçosa
  • Nelson da Silva Universidade do Estado de Santa Catarina; Escola Superior de Administração e Gerência

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502009000400007

Palavras-chave:

Compartilhamento de Risco, Consumo, Produção, América Latina, Integração Financeira

Resumo

Este trabalho buscou caracterizar o compartilhamento de risco na América Latina, utilizando renda e consumo per capita de 18 países latino-americanos, 6 desenvolvidos (G6) e 11 emergentes, no período de 1951-2003. A metodologia utilizou dados em painel, cointegração e modelo de correção de erros. Observou-se que o compartilhamento de risco na América Latina, em geral, é baixo. Intra-América Latina, foi de 20% no curto prazo e 7% no longo prazo. Intra-América Latina e interpaíses desenvolvidos, 15% no curto prazo e de 4% no longo prazo. Intra-América Latina e interpaíses desenvolvidos mais os emergentes, 15% no curto prazo e 13% no longo prazo. Pelos resultados, uma maior integração financeira dos países da América Latina, intra e interpaíses, mais especificamente com os países emergentes, promoveria maior suavização do consumo na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-01

Como Citar

Silva e Silva, B. A. da, & Silva, N. da. (2009). Compartilhamento de risco na América Latina. Economia Aplicada, 13(4), 479-504. https://doi.org/10.1590/S1413-80502009000400007

Edição

Seção

Artigos