Trabalho infantil no meio rural brasileiro: evidências sobre o "paradoxo da riqueza"

Autores

  • Ana Lúcia Kassouf Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura Luis de Queiroz; Departamento de Economia, Administração e Sociologia
  • Marcelo Justus dos Santos Universidade Estadual de Ponta Grossa; Departamento de Economia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502010000300004

Palavras-chave:

trabalho infantil, paradoxo da riqueza, área rural

Resumo

O objetivo deste estudo é investigar os efeitos da riqueza familiar no meio rural, mensurada pelo tamanho da propriedade agrícola, sobre a probabilidade de ocorrência do trabalho infantil agrícola. Utilizando os microdados da PNAD de 2006, e controlando as principais características individuais, demográficas e familiares que potencialmente afetam o trabalho infantil agrícola, foi possível isolar o efeito da riqueza familiar agrícola. Os resultados indicaram que, controlando a idade, gênero, raça, efeitos regionais, características da mãe e da família, há diferença na probabilidade de um indivíduo trabalhar precocemente devido às diferenças na riqueza de sua família. Especificamente, observa-se que a probabilidade de uma criança trabalhar em função do tamanho da propriedade agrícola segue uma parábola com vértice para cima, mostrando que com o aumento da propriedade agrícola, aumenta a probabilidade de crianças trabalharem em atividades agrícolas e pecuárias até atingir um ponto (76 ha) a partir do qual ocorre redução do trabalho infantil nessas atividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-09-01

Como Citar

Kassouf, A. L., & Santos, M. J. dos. (2010). Trabalho infantil no meio rural brasileiro: evidências sobre o "paradoxo da riqueza". Economia Aplicada, 14(3), 339-353. https://doi.org/10.1590/S1413-80502010000300004

Edição

Seção

Artigos