Lei de Wagner, Ilusão Fiscal e Causalidade entre Receitas e Despesas: Uma Análise das Finanças Públicas Brasileiras

Autores

  • Pedro Henrique Martins Prado Universidade Federal de Uberlândia. Instituto de Economia
  • Cleomar Gomes da Silva Universidade Federal de Uberlândia. Instituto de Economia

DOI:

https://doi.org/10.11606/1980-5330/ea133508

Palavras-chave:

Despesas Públicas, Lei de Wagner, Ilusão Fiscal, ARDL

Resumo

Este estudo investiga a dinâmica dos gastos do governo brasileiro baseando-se em três abordagens: a Lei de Wagner, a Ilusão Fiscal e o nexo causal com as receitas. Para o período 1997T1-2013T4 foram estimados Modelos Autorregressivos de Defasagens Distribuídas (ARDL) aplicados ao arcabouço da cointegração. Os resultados indicaram: i) indícios contra a validade da Lei de Wagner; ii) presença de Ilusão Fiscal, relacionada à existência de tributação indireta; iii) relação diferenciada da causalidade receitas-despesas, a depender da desagregação dos gastos públicos; iv) relação positiva entre salário mínimo real e dinâmica das despesas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-06-01

Como Citar

Prado, P. H. M., & Silva, C. G. da. (2018). Lei de Wagner, Ilusão Fiscal e Causalidade entre Receitas e Despesas: Uma Análise das Finanças Públicas Brasileiras. Economia Aplicada, 22(2), 307-332. https://doi.org/10.11606/1980-5330/ea133508

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)