Taxa de câmbio de equilíbrio e desalinhamento cambial: evidências para o Brasil (1994-2011)

Autores

  • Aderbal Oliveira Damasceno UFU
  • Flávio Vilela Vieira UFU

DOI:

https://doi.org/10.11606/1980-5330/ea169439

Palavras-chave:

taxa de câmbio de equilíbrio, desalinhamento cambial, modelos VEC

Resumo

O trabalho estima a taxa de câmbio real efetiva de equilíbrio e o desalinhamento cambial para o Brasil no período de 1994T3 a 2011T4. O trabalho contribui em três aspectos: i) constrói a série de taxa de câmbio real efetiva considerando os 20 principais parceiros comerciais; ii) os determinantes da taxa de câmbio real efetiva são calculados em relação àqueles dos 20 principais parceiros comerciais; iii) calcula uma medida de desalinhamento corrente e uma de desalinhamento total. As evidências indicam: sobrevalorização no período de câmbio rígido (1994T3 a 1998T4); subvalorização no período de câmbio flexível (1999T1 a 2011T4); subvalorização no período pós-crise do subprime (2008T3 a 2011T4); e uma sobrevalorização em 2011.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-01

Como Citar

Oliveira Damasceno, A., & Vilela Vieira, F. (2018). Taxa de câmbio de equilíbrio e desalinhamento cambial: evidências para o Brasil (1994-2011). Economia Aplicada, 22(4), 57-84. https://doi.org/10.11606/1980-5330/ea169439

Edição

Seção

Artigos