Persistência inflacionária regional brasileira: uma aplicação dos modelos arfima

Autores

  • Cleomar Gomes da Silva Universidade Federal de Uberlândia; Instituto de Economia
  • Flávio Vilela Vieira Universidade Federal de Uberlândia; Instituto de Economia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502013000100006

Palavras-chave:

Persistência Inflacionária, Política Monetária, Modelos ARFIMA

Resumo

Este artigo analisa o fenômeno da persistência das taxas de inflação (IPCA) das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, além de Brasília e Goiânia. São utilizados Modelos Autorregressivos de Integração Fracionária (ARFIMA) e testes com quebras estruturais para o período de agosto de 1999 a dezembro de 2011. Os resultados mostram certa persistência inflacionária nas regiões brasileiras, mas com características de estacionariedade e reversão à média de longo prazo. Entretanto, tal resultado somente é alcançado após o tratamento das quebras estruturais, que influenciaram principalmente os resultados do Rio de Janeiro e do Recife.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-03-01

Como Citar

Silva, C. G. da, & Vieira, F. V. (2013). Persistência inflacionária regional brasileira: uma aplicação dos modelos arfima . Economia Aplicada, 17(1), 115-134. https://doi.org/10.1590/S1413-80502013000100006

Edição

Seção

Artigos