Duraçao do desemprego e transições para o emprego formal, a inatividade e a informalidade

Autores

  • Maurício Reis IPEA
  • Marina Aguas UFF; IBGE

DOI:

https://doi.org/10.1590/1413-8050/ea416

Resumo

Longos períodos de desemprego podem influenciar a probabilidade de o indivíduo encontrar um emprego, assim como podem ter efeitos sobre a decisão desse indivíduo sair do mercado de trabalho. Usando dados da PME (Pesquisa Mensal de Emprego) para o período entre 2006 e 2013, estimamos modelos de duração que consideram transições do desemprego para o emprego, que pode ser formal ou informal, e para a inatividade. De acordo com os resultados, uma determinada característica individual geralmente apresenta efeitos diferenciados dependendo do tipo de transição considerado. Os resultados mostram ainda que as probabilidades de transição para todos os estados analisados aumentam com o tempo de desemprego. Indivíduos há mais tempo no desemprego parecem mais propensos a transitar para um emprego formal ou informal, mas também a deixarem a força de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-03-01

Como Citar

Reis, M., & Aguas, M. (2014). Duraçao do desemprego e transições para o emprego formal, a inatividade e a informalidade . Economia Aplicada, 18(1), 35-50. https://doi.org/10.1590/1413-8050/ea416

Edição

Seção

Artigos