Credibilidade e crises cambiais: uma aplicação do modelo de Velasco

Autores

  • Adriano Campos Menezes Universidade Católica de Brasília
  • Tito Belchior Silva Moreira Universidade Católica de Brasília
  • Geraldo da Silva e Souza Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502005000300006

Palavras-chave:

ataque especulativo, credibilidade, taxa de câmbio fixo, crises cambiais

Resumo

Este artigo analisa as crises cambiais dos principais países da América do Sul, no período de 1992 a 1998, com base no modelo de Velasco (1996). Este é um modelo que sintetiza dois enfoques: ataques especulativos resultantes de desequilíbrios nos fundamentos macroeconômicos e resultantes de profecias auto-rea-lizáveis, mesmo quando as economias apresentam bons fundamentos. Nove países latino-americanos são classificados por meio da construção de um índice derivado de uma função perda. Desse modo é possível agrupar os países pelo grau de vulnerabilidade às crises, estabelecendo-se zonas de credibilidade. Os resultados indicam que a economia brasileira, por apresentar problemas nos fundamentos macroeconômicos, foi classificada em uma zona de credibilidade nula. A Argentina moveu-se de uma zona de alta credibilidade para uma faixa intermediária. Isto indica que a Argentina tornou-se suscetível às crises auto-realizáveis. As demais economias situaram-se numa região de alta credibilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2005-09-01

Como Citar

Menezes, A. C., Moreira, T. B. S., & Souza, G. da S. e. (2005). Credibilidade e crises cambiais: uma aplicação do modelo de Velasco. Economia Aplicada, 9(3), 445-464. https://doi.org/10.1590/S1413-80502005000300006

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)