Simulação dos efeitos concorrenciais da fusão Copene-Braskem

Autores

  • Arthur Barrionuevo Filho Fundação Getúlio Vargas; Escola de Economia de São Paulo
  • Cláudio Ribeiro Lucinda Fundação Getúlio Vargas; Escola de Economia de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502006000400002

Palavras-chave:

concentração horizontal, integração vertical, defesa da concorrência, indústria química, polietileno

Resumo

Neste artigo são simuladas as implicações concorrenciais decorrentes da compra do controle da empresa COPENE pelo grupo BRASKEM. Mais especificamente, tal operação diz respeito aos efeitos da concentração horizontal no mercado de polietilenos (PEAD, PEBD e PEBDL), e da integração vertical no mercado de eteno. Para avaliar os efeitos da operação, foi realizada uma análise que simulou o comportamento das empresas produtoras de polietilenos e eteno em termos de fixação de preços e quantidades ofertadas. As principais conclusões destas simulações, partindo da formação da empresa BRASKEM, são: (i) elevação do preço médio dos polietilenos no mercado brasileiro; (ii) redução da quantidade total de polietilenos consumida; (iii) elevação da concentração no setor, medida pelo Índice Herfindahl-Hirschmann; (iv) maior participação de mercado da empresa BRASKEM, o que reforça sua posição dominante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-12-01

Como Citar

Barrionuevo Filho, A., & Lucinda, C. R. (2006). Simulação dos efeitos concorrenciais da fusão Copene-Braskem. Economia Aplicada, 10(4), 503-522. https://doi.org/10.1590/S1413-80502006000400002

Edição

Seção

Artigos