Déficits, gastos do governo e a não-estabilidade da carga tributária no caso do Estado do Rio Grande do Sul

Autores

  • Liderau dos Santos Marques Junior Universidade de Passo Fundo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502007000100007

Palavras-chave:

tax-smoothing hypothesis, vetores auto-regressivos, Rio Grande do Sul

Resumo

A hipótese de estabilização da carga tributária (tax-smoothing hypothesis) implica: 1) a carga tributária ótima segue um passeio aleatório puro; 2) um superávit orçamentário igual ao valor presente esperado de variações nos gastos do governo. No presente artigo, são realizados testes de passeio aleatório da carga tributária para o período 1970-2002 e usa-se um modelo de vetores auto-regressivos para o período 1970-1997 no caso das finanças públicas do Estado do Rio Grande do Sul. Os testes rejeitam a hipótese de estabilização da carga tributária para o caso em estudo em ambos os períodos. Isto é, as evidências indicam que o governo estadual não se comportou como um tax-smoother.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-03-01

Como Citar

Marques Junior, L. dos S. (2007). Déficits, gastos do governo e a não-estabilidade da carga tributária no caso do Estado do Rio Grande do Sul. Economia Aplicada, 11(1), 131-151. https://doi.org/10.1590/S1413-80502007000100007

Edição

Seção

Artigos