A informalidade no mercado de trabalho e o impacto das instituições: uma análise sob a ótica da teoria dos jogos

Autores

  • Fernando B. Meneguin Senado Federal
  • Maurício S. Bugarin Ibmec

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502008000300001

Palavras-chave:

teoria dos jogos, mercado de trabalho, instituições

Resumo

Este artigo analisa a informalidade no mercado de trabalho, com um jogo dinâmico infinito entre empregador e empregados, no qual a Justiça Trabalhista é representada parametricamente. Duas classes de equilíbrios de Nash perfeitos em subjogos são encontradas. Na primeira classe, a relação informal prevalece durante um determinado tempo, com posterior formalização do trabalhador, sendo que, quanto mais efetiva for a Justiça, mais rapidamente serão registrados os empregados. Na segunda classe, a informalidade se pereniza, associada a uma alta rotatividade no mercado de trabalho. Novamente, quanto mais efetivo o Judiciário, menor a probabilidade de esse último equilíbrio existir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-09-01

Como Citar

Meneguin, F. B., & Bugarin, M. S. (2008). A informalidade no mercado de trabalho e o impacto das instituições: uma análise sob a ótica da teoria dos jogos. Economia Aplicada, 12(3), 341-363. https://doi.org/10.1590/S1413-80502008000300001

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)