A contribuição das atividades agrícolas e não-agrícolas para a desigualdade de renda no Brasil rural

Autores

  • Marlon Gomes Ney UENF; Centro de Ciências do Homem
  • Rodolfo Hoffmann UNICAMP; Instituto de Economia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502008000300002

Palavras-chave:

desigualdade, distribuição de renda, meio rural

Resumo

O trabalho analisa a contribuição das atividades agrícolas e não-agrícolas para a desigualdade de renda rural, observando dois indícios: sua participação no rendimento total dos domicílios em diferentes estratos de renda delimitados por percentis e a decomposição do índice de Gini. Além da população oficialmente rural do País, a pesquisa abrange as chamadas "cidades rurais", compostas por áreas que, mesmo oficialmente consideradas urbanas, apresentam baixo contingente populacional e densidade demográfica. Os resultados obtidos revelam que as ocupações agrícolas e não-agrícolas contribuem, respectivamente, para a redução e para o aumento das disparidades de rendimentos no meio rural brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-09-01

Como Citar

Ney, M. G., & Hoffmann, R. (2008). A contribuição das atividades agrícolas e não-agrícolas para a desigualdade de renda no Brasil rural. Economia Aplicada, 12(3), 365-393. https://doi.org/10.1590/S1413-80502008000300002

Edição

Seção

Artigos