A política cambial brasileira de facto: 1999-2015

Autores

  • Viviane Luporini Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Economia
  • Francisco Eduardo Pires de Souza Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Economia

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-416146495vlfs

Palavras-chave:

Câmbio, intervenções cambiais, Brasil

Resumo

Este artigo apresenta uma análise empírica das intervenções no mercado cambial pelo Banco Central brasileiro. Utilizando dados mensais, estimamos os efeitos da volatilidade e de desalinhamentos cambiais sobre a probabilidade de intervenção.  Os resultados empíricos indicam que as intervenções respondem não somente à volatilidade excessiva, como tem declarado formalmente o Banco Central, mas também aos desalinhamentos do câmbio.  Em particular, os resultados indicam que a probabilidade de intervenção é maior no caso de desalinhamentos cambiais que desvalorizam a moeda local, uma indicação de comportamento assimétrico por parte do Banco Central em face de apreciações ou depreciações cambiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADLER, G.; TOVAR, C. Foreign Exchange Intervention: A Shield against Appreciation Winds? IMF Working Paper (WP/11/165), 2011.

BASTOS, E.K.X.; FONTES, P.V.S. Mercado de Câmbio Brasileiro, Intervenções do Banco Central e Controles de Capitais de 1999 a 2012. IPEA, Texto para Discussão 1934, 2014.

CALVO, G.A.; REINHART, C.M. Fear of Floating. NBER Working Paper, n. 7993, 2000.

DISYATAT, P.; GALATI, G. The effectiveness of foreign exchange intervention in emerging market countries: evidence from the Czech koruna. Journal of International Money and Finance, Vol. 26 (3): 383-402, 2007.

DOMINGUEZ, K. M.; Frankel, J.A. Does Foreign Exchange Intervention Work? Institute for International Economics, 1993.

DOMINGUEZ, K. Central bank intervention and exchange rate volatility. Journal of International Money and Finance, Vol 17 (1): 161-190, 1998.

GARCIA, M.; VOLPON, T. “DNDFs: A More Efficient Way to Intervene in FX Markets?”. PUC-Rio,

Texto para Discussão no. 621, 2014.

GALATI, G.; MELICK, W.; MICU, M. Foreign exchange market intervention and expectations: the yen/dollar exchange rate. Journal of International Money and Finance, Vol 24 (6): pp. 982-1011, 2005.

HANSEN, HEATON and YARON. Finite sample properties of some alternative GMM estimators.

Journal of Business and Economic Statistics, 14 (3): 262-280, 1996.

International Monetary Fund. Methodology for CGER Exchange Rate Assessments. IMF Policy Papers, November 2006.

HANSEN, HEATON and YARON. Regional economic outlook. Western Hemisphere. – Washington, D.C.: International Monetary Fund, 2011.

KENEN, Peter. Vendas diárias de dólares e além. Notas Técnicas do Banco Central do Brasil, Número 9, Novembro, 2001.

OLIVEIRA, F. N. e PLAGA, A. Eficácia das intervenções do Banco Central do

Brasil sobre a volatilidade condicional da taxa de câmbio nominal. Revista

Brasileira de Economia, v. 65 (1): 71-92, 2011.

OSTRY, J.D., GHOSH, A.R. e CHAMON, M. Two Targets, Two Instruments: Monetary and Exchange Rate Policies in Emerging Market Economies. IMF Discussion Note, SDN/12/01, 2012.

PIMENTEL, D., A. MODENESI, V. LUPORINI. Assimetrias no repasse cambial para a inflação: uma análise empírica para o Brasil (1999 a 2013). Estudos Econômicos, Vol 46 (2): 343-372, 2016.

PRATES, Daniela M. O regime de câmbio flutuante no Brasil 1999-2012: especificidades e dilemas. IPEA, 2015.

RAMACHANDRAN, M.; Srinivasan, N. Asymmetric exchange rate intervention and international

reserve accumulation in India. Economic Letters, Vo. 94(2): pp. 259-265, 2007.

SOUZA, Francisco E.P. De HOFF, Cecília R. O regime de cambial brasileiro: flutuação genuína ou medo de flutuação. Anais do XXXI Encontro Nacional de Economia, ANPEC, 2003.

SARNO, L.; Taylor, M. Official intervention in the foreign exchange market: is it effective and, if so, how does it work? Journal of Economic Literature, Vol. 39 (3): pp. 839-868, 2001.

S I LV E I R A , M . I n t e r v e n ç ã o d a a u t o r i d a d e m o n e t á r i a n o m e r c a d o d e câmbio em regime de flutuação administrada.” Notas Técnicas do Banco Central, n. 34, Banco Central do Brasil, 2003.

STONE, M.; SCOTT, R.; NORDSTROM, A.; SHIMIZU, S. KISINBAY, T.; RESTREPO, J. The Role

of the Exchange Rate in Inflation-Targeting Emerging Economies, IMF Occasional Paper 267, International Monetary Fund, 2009.

TASHU, M. Motives and effectiveness of forex interventions: evidence from Peru. Working Paper 14/217, International Monetary Fund, 2014.

TAYLOR, J. Remarks for the Panel Discussion Structural Change and Monetary Policy Conference, Federal Reserve Bank of San Francisco. Disponível em http://www.frbsf.org/economic-research/files/recent_taylor.pdf, data de acesso 14 de julho de 2015, 2000.

VERVLOET, W. T. F. Efeitos de intervenções esterilizadas do BCB sobre a taxa de câmbio. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2010.

Downloads

Publicado

2016-12-01

Edição

Seção

Artigo