As contas dos escravos numa economia agrária

clientes de uma casa de comercial no interior de Santa Catarina (Brasil, 1875-1876)

Palavras-chave: Escravidão, Comércio, Escravo, Negócios, Conta corrente

Resumo

Discutimos os negócios dos escravos a partir das correntes como clientes de uma casa comercial em uma economia voltada para o mercado interno ao final do período escravista, evolvendo débitos e créditos, dinheiro e mercadorias. Os cativos forneceram milho e feijão e compraram um leque amplo de produtos, compreendendo alimentos, vestuário e utensílios. Em quase um terço dos lançamentos eles transacionaram dinheiro, representando a principal despesa debitada aos escravos, inclusive para o pagamento do seu escravista. Essas numerosas transações de valores substantivos dos escravos em pouco mais de um ano demonstram uma capacidade reiterada de manter negócios com a casa comercial. Embora apenas uma pequena parte deles alcançassem condições de acumular pecúlio, somente uma parcela ainda menor conseguiu sonhar com a liberdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Leite Marcondes, Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto / Professor

Departamento de economia da FEARP/USP. Doutor em economia

Referências

Fontes

Arquivo Público e Histórico de Tubarão. Livro Diário de João Machado Pacheco (1875-76).

Brasil. Comissão Encarregada da Revisão da Tarifa das Alfandegas do Império. Documentos estatísticos sobre o comércio do Império do Brasil nos anos de 1845-1849. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1853.

Coutinho, João José. Relatório do presidente da província de Santa Catarina. S.ed. 1855.

Sauer, Arthur. Almanak Administrativo, mercantil e industrial do Império do Brasil para 1885. Rio de Janeiro: Laemmert & C., 1885.

Silva, João Thomé da. Fala dirigida à Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catharina em 21 de março de 1875 pelo exm. sr. presidente da província, dr. João Thomé da Silva. Desterro: Typ. de J. J. Lopes, 1875.

Referências

Almeida, Carla Maria Carvalho de. Ricos e pobres em Minas Gerais: produção e hierarquização social no mundo colonial, 1750-1822. Belo Horizonte: Argvmentuvm, 2010.

Avé-Lallemant, Robert. Viagens pelas províncias de Santa Catarina, Paraná e São Paulo (1858). Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1980.

Cardoso, Ciro Flamarion S. Escravo ou camponês? O protocampesinato negro nas Américas. São Paulo: Brasiliense, 1987.

Dauwe, Fabiano. A libertação gradual e a saída viável: os múltiplos sentidos da liberdade pelo fundo de emancipação de escravos. Dissertação (Mestrado em História) – UFF, 2004.

Dean, Warren. Rio Claro: um sistema brasileiro de grande lavoura: 1820-1920. São Paulo: Paz & Terra, 1977.

Frank, Zephyr L. Dutra´s world: wealth and Family in Nineteenth-century Rio de Janeiro. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2004.

Goularti Filho, Alcides. Formação econômica de Santa Catarina. Florianópolis: Cidade Futura, 2002.

Graham, Richard. Alimentar a cidade: das vendedoras de rua à reforma liberal (Salvador, 1780-1860). São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Guimarães, Elione. “Experiências econômicas de cativos (Zona da Mata de Minas Gerais, segunda metade do oitocentos).” in Campos em disputa: história agrária e companhia, orgs. Guimarães, Elione & Motta, Márcia Maria Menendes, 217-244. São Paulo: Annablume/Núcleo de Referência Agrária, 2007.

Guimarães, Elione. Terra de preto: usos e ocupação da terra por escravos e libertos (Vale do Paraíba mineiro, 1850-1920). Niterói: EDUFF, 2009.

Hillard, Katrhleen M. Masters, slaves, and exchange: power´s purchase in the Old South. New York: Cambridge University Press, 2014.

Hübener, Laura Machado. O comércio da cidade do Desterro no século XIX. Florianopólis: Editora da UFSC, 1981.

Karasch, Mary C. A vida dos escravos no Rio de Janeiro, 1808-1850. São Paulo: Companhia das Leras, 2000.

Lima, Henrique Espada. Sob o domínio da precariedade: escravidão e os significados da liberdade de trabalho no século XIX. Topoi. Rio de Janeiro, v.6, n. 11, jul./dez 2005, 289-326.

Lúcio, Paulo Henrique. A escravidão em Santa Catarina: um jogo de dominação e intolerância na região de Tubarão. Dissertação (Mestrado em Educação) UNISUL, 2006.

Messias, Rosane Carvalho. Fazenda Palmital: da escravidão ao trabalho livre, 1885-1888. Anais do VI Congresso Brasileiro de História Econômica. Conservatória: ABPHE, 2005.

Paiva, Eduardo França. Escravos e libertos na Minas Gerais do Século XVIII: estratégias de resistência através dos testamentos. São Paulo: Annablume, 1995.

Papali, Maria Aparecida. Senhores e seus escravos: querelas jurídicas em uma pequena cidade do Vale do Paraíba nas décadas de 1870/1880 São José dos Campos SP. XXVII Simpósio Nacional de História. Natal: ANPUH, 2013. << http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364502183_ARQUIVO_TRABALHOCOMPLETOSENHORESESEUSESCRAVOS.pdf >> visitado em 20 de maio de 2019.

Penna, Clemente Gentil. Escravidão, Liberdade e os arranjos de trabalho na Ilha de Santa Catarina nas últimas décadas de escravidão (1850-1888). Dissertação (Mestrado em História) CFCS/UFSC, 2005.

Piazza, Walter F. O escravo numa economia minifundiária. Florianópolis: UDESC, 1975.

Saraiva, Luiz Fernando e Oliveira, Thiago Alvarenga de. “A Caixa Econômica do Rio de Janeiro, 1831-1859” in Historia bancaria y monetária de América Latina (siglos XIX y XX): nuevas perspectivas, ed. Marichal, Carlos & Gambi, Thiago, 429-462. Santander/Alfenas: Editorial de la Universidad de Cantabria/Universidade Federal de Alfenas, 2017.

Saraiva, Luiz Fernando e Freire, Jonis. “’Pertence a liberta Firmina, 09 de maio de 1888’: relações de crédito na transição do trabalho escravo para o libre em uma região cafeeira – Zona da Mata Mineira.” in Crédito & Descrédito: relações sociais de empréstimos na América – séculos XVIII ao XX, orgs. Saraiva, Luiz Fernando & Guimarães, Carlos Gabriel, 282-317. Niteroi: Eduff/Faperj, 2018.

Schwartz, Stuart B. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial. São Paulo: Cia. das Letras/CNPq, 1988.

Soares, Luiz Carlos. Os Escravos ao ganho no Rio de Janeiro do século XIX. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 8, nº 16, 1988. 107-42.

Valencia Villa, Carlos Eduardo. La producción de la libertad: economia de los escravos manumitidos em Río de Janeiro a mediados del siglo XIX. Bogotá: ICANH, 2011.

Xavier, Regina Célia Lima. A conquista da liberdade: libertos em Campinas na segunda metade do século XIX. Campinas: CMU/UNICAMP, 1996.

Publicado
2020-06-30
Seção
Artigo