Avaliação dos impactos socioeconômicos da cadeia produtiva do biodiesel na agricultura familiar brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-41615133pam

Palavras-chave:

Agricultura familiar, Biodiesel, Cadeia produtiva, Impactos socioeconômicos, Insumo-produto

Resumo

Este trabalho tem como objetivo avaliar os impactos socioeconômico da cadeia produtiva do biodiesel na agricultura familiar do Brasil, identificando-se os efeitos diretos e indiretos sobre os agricultores familiares e demais setores da economia brasileira. Para estimar estes efeitos, o presente estudo adotou como base metodológica a Teoria de Insumo-Produto, acompanhada do levantamento em bases de dados secundárias e complementares para entender a estrutura do setor do biodiesel e da agricultura familiar. Essa metodologia considera todos os efeitos diretos e indiretos envolvidos por toda a extensão da cadeia produtiva para atender às necessidades de fornecimento de insumos dos setores da economia. Utilizou-se como principal base de dados a Matriz de Insumo-Produto Nacional do ano de 2015, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados indicaram que o setor do biodiesel exerceu impactos expressivos na economia brasileira e tem demonstrado crescimento ao longo do tempo em decorrência do aumento do percentual da mistura obrigatória ao óleo diesel mineral. Em específico aos impactos na agricultura familiar, os resultados apontaram que os maiores efeitos ocorreram nas ocupações geradas e que a renda mensal média dos empregos gerados tem contribuído ao equivalente a 58% do salário mínimo de 2015. Além disso, o setor agrícola familiar possui impactos menores comparado ao resto do setor agrícola devido à proporção de biodiesel produzido com matéria-prima da agricultura familiar ser menor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Márcio Buainain, Universidade Estadual de Campinas. Instituo de Economia

Professor

Referências

ABIOVE - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais. 2019. “Estatísticas.” Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais. 2019. http://abiove.org.br/estatisticas/.

Abramovay, Ricardo, e Reginaldo Magalhães. 2007. “O Acesso dos Agricultores Familiares Aos Mercados de Biodiesel: Parcerias Entre Grandes Empresas e Movimentos Sociais.” Texto Para Discussão. São Paulo: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.

ANP - Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis. 2019. Anuário Estatístico Brasileiro Do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Anuário Estatístico ANP. Rio de Janeiro: Agência Nacional do Petróleo,

Gás Natural e Biocombustíveis. http://www.anp.gov.br/arquivos/central-conteudos/anuario-estatistico/2019/2019-anuario-versao-impressao.pdf.

ANP - Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis. 2020. “Boletim Mensal Da Produção de Petróleo e Gás Natural.” Agência Nacional Do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Rio de Janeiro: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

http://www.anp.gov.br/publicacoes/boletins-anp/2395-boletim-mensal-da-producao-de-petroleo-e-gas-natural.

APROBIO - Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil. 2012. “Impactos Socioeconômicos Da Indústria De Biodiesel No Brasil.” Aprobio. São Paulo. http://aprobio.com.br/2015/11/24/soja-e-a-materia-prima-de-82-do-biodiesel-produzido-no-brasil/.

Assis, R. L., e Ademar R. Romeiro. 2005. “Agroecologia e Agricultura Familiar Na Região Centro-Sul Do Estado Do Paraná.” Revista de Economia Rural 43 (1): 155–77.

Bartholomeu, D. B., e L. T. Silveira. 2007. “Impactos do Programa Nacional do Biodiesel na Economia Brasileira: Uma Aplicação do Modelo Minimal de Equilíbrio Geral.” Organizações Em Contexto 3 (6): 214–35.

Belik, Walter, e A. R. A. A. Cunha. 2015. “Abastecimento no Brasil: O Desafio de Alimentar as Cidades e Promover o Desenvolvimento Rural.” In Políticas Públicas de Desenvolvimento Rural No Brasil, editado por Catia Grisa e Sergio Schneider. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Bergmann, J. C, D. D Tupinamba, O. Y. A Costa, J. R. M Almeida, C. C Barreto, e B. F Quirino. 2013. “Biodiesel Production in Brazil and Alternative Biomass Feedstocks.” Renewable and Sustainable Energy Reviews 21: 411–20. https://doi.org/dx.doi.org/10.1016/j.rser.2012.12.058.

Bosi, José Alfredo. 2015. “O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel e a Agricultura Familiar.” Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo. http://ir.obihiro.ac.jp/dspace/handle/10322/3933.

Brasil. 2018. Portaria No 515, de 21 de Agosto de 2018. Brasília: Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/37784156/do1-2018-08-22-portaria-n-515-de-21-de-agosto-de-2018-37784082.

Brasil. 2019. Despacho No 621 de 06 de Agosto de 2019. Brasília: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

http://legislacao.anp.gov.br/?path=legislacao-anp/despachos/2019/agosto&item=desp-621-2019.

Brinkman, Marnix L.J., Marcelo P. da Cunha, Sanne Heijnen, Birka Wicke, Joaquim J.M. Guilhoto, Arnaldo Walter, André P.C. Faaij, e Floor van der Hilst. 2018. “Interregional Assessment of Socio-Economic Effects of Sugarcane Ethanol Production in Brazil.” Renewable and Sustainable Energy Reviews 88 (December 2016): 347–62. https://doi.org/10.101/j.rser.2018.02.014.

Buainain, Antônio Márcio. 2006. Agricultura Familiar, Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável: Questões Para Debate. IICA. Brasília: IICA.

César, Aldara da Silva, e Mário Otávio Batalha. 2011. “Análise dos Direcionadores de Competitividade Sobre a Cadeia Produtiva de Biodiesel: O Caso Da Mamona.” Production 21 (3): 484–97. https://doi.org/10.159/s0103-65132011005000039.

CGEE. 2009. Bioetanol Combustível: Uma Oportunidade Para o Brasil. Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. 1st ed. Brasília: NIPE, UNICAMP, CGEE.

Costa, Angela Oliveira da. 2017. “A Inserção Do Biodiesel Na Matriz Energética Nacional: Aspectos Socioeconômicos, Ambientais e Institucionais.” Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Cunha, Marcelo Pereira da. 2011. “Avaliação Socioeconômica e Ambiental de Rotas de Produção de Biodiesel No Brasil, Baseada Em Análise de Insumo-Produto.” Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas.

Evangelista Junior, Francisco. 2009. “Inserção de um Modelo Agro-Industrial de Pequena Escala na Cadeia de Produção do Biodiesel Baseado na Cultura do Girassol e no Segmento Agrícola Familiar do Semi-Árido Potiguar.” Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas.

Flexor, George, Karina Yoshie Martins Kato, Maria do Socorro Lima, e Betty Nogueira Rocha. 2011. “Dilemas Institucionais Na Promoção dos Biocombustíveis.” Cadernos Do Desenvolvimento 6 (8): 329–54.

Freitas, Silene Maria, e Oswaldo Lucon. 2011. Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel: A Transição Para um Estilo de Desenvolvimento Sustentável. Editado pelo Instituto de Economia Agrícola. 27 ed. Vol. 27. São Paulo: IEA.

Frozza, Mateus Sangoi, e Ana Lúcia Tatsch. 2014. “Sistema Setorial do Biodiesel no Rio Grande Do Sul: Caracterização

e Oportunidades para a Consolidação de um Sistema Inovativo em Agroenergia.” Ciência Rural 44 (12): 2286–92. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20130756.

Garcia, Junior Ruiz. 2007. “O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel Brasileiro e a Agricultura Familiar na Região Nordeste.” Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas.

Garcia, Junior Ruiz, e José Eustáquio Vieira Filho. 2014. “Reflexões Sobre o Papel Da Política Agrícola Brasileira Para o Desenvolvimento Sustentável.” Texto para Discussão. Vol. 1936. Brasília: IPEA.

Gonçalves, K. Y, Arilson Favareto, e Ricardo Abramovay. 2014. “As Estruturas Sociais do Mercado de Matérias-Primas para o Biodiesel no Semiárido Brasileiro e os Bloqueios à Inserção dos Agricultores Pobres do Nordeste.” In Energia, Desenvolvimento e Sustentabilidade, editado porArilson Favareto e Rafael Moralez, 245–62. Porto Alegre: Editora Zouk.

Grisa, Catia, e Sergio Schneider. 2015. Políticas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Guanziroli, Carlos E. 2007. “PRONAF Dez Anos Depois: Resultados e Perspectivas para o Desenvolvimento Rural.” Revista de Economia e Sociologia Rural 45 (2): 301–28. https://doi.org/10.1590/s0103-20032007000200004.

Guanziroli, Carlos Enriques, Ademar R. Romeiro, Antônio Márcio Buainain, Alberto Di Sabbato, and Gilson Bittencourt. 2001. Agricultura Familiar e Reforma Agrária No Século XXI. Rio de Janeiro: Garamound.

Guilhoto, Joaquim José Martins. 2011. Input-Output Analysis: Theory and Foundations (Análise de Insumo-Produto: Teoria e Fundamentos). SSRN Electronic Journal. Munich Personal RePEc Archive. https://doi.org/10.2139/ssrn.1900073.

Guilhoto, Joaquim José Martins, e Umberto Antonio Sesso Filho. 2010. “Estimação Da Matriz Insumo-Produto Utilizando Dados Preliminares das Contas Nacionais: Aplicação e Análise de Indicadores Econômicos para o Brasil em 2005.” Revista Economia & Tecnologia 6 (4): 53–62. https://doi.org/10.5380/ret.v6i4.26912.

Guilhoto, José, S. M. Ichihara, F. G. Silveira, B. P. C. Diniz, C. R. Azzoni, e G. R. C. Moreira. 2007. “A Importância da Agricultura Familiar no Brasil e em seus Estados.” In Anais Do 35° Encontro Nacional de Economia, 172. Recife: Venaber.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2006. “Censo Agropecuário 2006.” Sistema IBGE de Recuperação

Automática. 2006. http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/default.shtm.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017a. “Censo Agropecuário 2017.” Sistema IBGE de Recuperação Automática. 2017. https://sidra.

ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017b. “Contas Nacionais.” Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. https://biblioteca.ibge.

gov.br/visualizacao/livros/liv101289_notas_tecnicas.pdf.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017c. “Matriz de Insumo-Produto.” Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. https://www.

ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9085-matriz-de-insumo-produto.html?=&t=resultados

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2018. “Sistemas de Contas Nacionais.” IBGE. 2018. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9052-sistema-de-contas-nacionais-brasil.html?=&t=o-que-e.

IRENA - International Renewable Energy Agency. 2016. “Renewable Energy and Jobs.”

Isolani, Kellen Alessandra, e Julyerme Matheus Tonin. 2013. “Produção de Biodiesel No Brasil com o Advento do Selo Combustível Social e os Impactos na Agricultura Familiar Biodiesel.” Desenvolvimento e Meio Ambiente 28: 157–71.

Landau, E. L., L. S. Guimarães, A. Hirsch, D. P. Guimarães, W. J. R. Matrangolo, e M. T. Gonçalves. 2013. “Concentração Geográfica Da Agricultura Familiar no Brasil.” Sete Lagoas. https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/965105/1/doc155.pdf.

Leite, João Guilherme Dal Belo, Jos Bijman, Ken Giller, e Maja Slingerland. 2013. “Biodiesel Policy for Family Farms in Brazil: One-Size-Fits-All?” Environmental Science & Policy 27 (March). https://doi.org/10.1016/j.envsci.2013.01.004.

Leite, Sergio P., e V. Wezs Jr. 2010. Modèle de Développement et Dynamiques Foncières au Brésil: Analyse de l’expansion de l’agribusiness du Soja et ses Effets Sur le Millieu Rural. Mimeo. Montpellier: CIRAD.

Machado, Pedro G., Marcelo Cunha, Arnaldo Walter, André Faaij, e Joaquim J.M. Guilhoto. 2020. “The Potential of a Bioeconomy to Reduce Brazilian GHG Emissions towards 2030: A CGE-Based Life Cycle Analysis.” Biofuels, Bioproducts and Biorefining 14 (2): 265–85. https://doi.org/10.1002/bbb.2064.

MAPA - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. 2019. “Balanço Do Selo Combustível Social.” Selo Combustível Social. 2019. http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_img_1754/SCS Balanço_2017_Publicação_20-11-18.pdf.

Miller, Ronald E, e Peter D Blair. 2009. Input-Output Analysis: Foundations and Extensions. 2ª ed. Cambridge: Cambridge University Press.

Monteiro, Joyce Maria Guimarães. 2007. “Plantio de Oleaginosas por Agricultores Familiares do Semi-Árido

Nordestino para Produção de Biodiesel como uma Estratégia de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas.” Tese de Doutorado, Universidade Federal Do Rio de Janeiro.

Pedroti, Paula Maciel. 2013. “Os Desafios do Desenvolvimento e Inclusão Social: O Caso do Arranjo Político-Institucional do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodísel.” In Capacidades Estatais e Democracia: Arranjos Institucionais de Políticas Públicas, editado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 1858:66. Rio de Janeiro: IPEA.

Prado, Jefferson Nery. 2015. “Estudo sobre o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB). Uma Análise sobre os Municípios Produtores de Soja e as Cooperativas de Agricultura Familiar.” Tese de Doutorado, Universidade Federal de Juiz de Fora.

Ramos, L. P., V. Kothe, M. A.F. César-Oliveira, A. S. Muniz-Wypych, S. Nakagaki, N. Krieger, F. Wypych, e C. S. Cordeiro. 2017. “Biodiesel: Matéria-Primas, Tecnologias de Produção e Propriedades Combustíveis.” Revista Virtual de Quimica 9 (1): 317–69. https://doi.org/10.21577/1984-6835.20170020.

Ribeiro, Vinícius Souza, e Marcus Vinicius Alves Finco. 2014. “Biodiesel e Agricultura Familiar No Tocantins: Uma Análise a Partir Da Teoria Dos Conjuntos Fuzzy.” Revista Esmat 6 (8): 167–80.

Ribeiro, Vinícius Souza, Marcus Vinicius Alves Finco, Jaqueline Boni Ribeiro, e Joel Ferreira Nunes. 2015. “Cadeia Produtiva da Soja e a Produção de Biodiesel no Tocantins: Uma Análise do Uso da Terra pela Agricultura Familiar.” Cadernos de Ciência & Tecnologia 32 (1/2): 167–163.

Rodrigues, Marcos, e Arturo Alejandro Zavala. 2017. “Programa Nacional de Biodiesel e Agricultura Familiar em Mato Grosso.” Revista Da Faculdade de Administração e Economia 8 (2): 172–88.

Salles-Filho, S. L. M., L. A. B. Cortez, J. M. F. J. Silveira, e S. C. Trindade. 2016. Global Bioethanol. Amsterdã: Elsevier. https://doi.org/10.1016/C2014-0-03857-9.

Sambuichi, R. H. R., E. P. Galindo, M. A. C. Oliveira, e A. M. M, Moura. 2014. “Compras Públicas Sustentáveis e Agricultura Familiar: A Experiência do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).” In Políticas Agroambientais e Sustentabilidade: Desafios, Oportunidades e Lições Aprendidas, editado por R. H. R. Sambuichi, A. P. M. Silva, M. A. C. Oliveira, e M. Savian, IPEA, 273-undefined. Brasília: IPEA.

Sampaio, Renata Martins. 2017. “Biodiesel no Brasil: Capacidades Estatais, P&D e Inovação na Petrobras Biocombustíveis.” Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas.

Sauer, Sérgio, e Sérgio Pereira Leite. 2012. “Expansão Agrícola, Preços e Apropriação de Terra por Estrangeiros no Brasil.” Revista de Economia e Sociologia Rural 50 (3): 503–24.

Silva, Marcelo Santana, Fábio Matos Fernandes, Francisco Lima, Cruz Teixeira, e Ednildo Andrade Torres. 2014. “Biodiesel and the ‘Social Fuel Seal’ in Brazil: Fuel of Social Inclusion?” Journal of Agricultural Science 6 (11): 212–28. https://doi.org/10.5539/jas.v6n11p212.

Souza, Simone P., Joaquim E.A. Seabra, e Luiz A.Horta Nogueira. 2017. “Feedstocks for Biodiesel Production: Brazilian and Global Perspectives.” Biofuels 9 (4): 455–78. https://doi.org/10.1080/17597269.2017.1278931.

Yuuki, P. Y., M. A. Conejero, e M. F. Neves. 2007. “Avaliação dos Impactos Econômicos da Produção de Biodiesel no Brasil.” Organizações Rurais e Agroindustriais 9 (1): 53–68.

Downloads

Publicado

2021-09-30

Edição

Seção

Artigo

Dados de financiamento