A agricultura paulista em 1905

Autores

  • Francisco Vidal Luna Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
  • Herbert S. Klein Stanford University e Columbia University
  • William R. Summerhill University of California at Los Angeles

Palavras-chave:

cafeicultura, agricultura, São Paulo, Censo agrícola de 1905

Resumo

O estudo revelou a importância da cafeicultura e que a grande produção cafeeira coexistia com milhares de pequenos e médios produtores também dedicados a cafeicultura. Mostrou também a existência de ampla produção agrícola voltada ao mercado interno. Cultivos em grande parte feitos em unidades produtoras de café. A Mogiana era a região agrícola mais importante e o Vale do Paraíba havia perdido importância na agricultura paulista. O estudo também demonstra a alta produtividade das áreas novas. A ampla rede ferroviária existente permitia expandir a agricultura mantendo ou mesmo ampliando a produtividade da agricultura. Com disponibilidade de terras e com uma intensa imigração européia, apenas o mercado poderia evitar a expansão da cafeicultura. Merece realce a baixa tecnologia adotada. Poucos agricultores, mesmo nas regiões mais dinâmicas, utilizavam arados e outros equipamentos similares ou serviam-se de adubos químicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALDRIGHI, D. M.; SAES, F. A. M. de. Financing Pioneering Railway in São Paulo: The Idiossyncratic Case of the Estrada de Ferro Sorocabana (1872-1919). Estudos Econômicos, São Paulo, v. 35, n. 1, pp. 133-168, janeiro-março 2005.

ANNUÁRIO ESTATÍSTICO DO ESTADO DE SÃO PAULO (AESP), 1901-1920. São Paulo: Typographia do Diario Official, 1904-1923. 29 v. http://memoria.nemesis.org.br/

BACHA, E. L. Política Brasileira do Café. Uma Avaliação Centenária. In: MARTINS M. & JOHNSTON E. 150 anos de café. Rio de Janeiro: Marcelino Martins & E. Johnston Exportadores Ltda., 1992. 15-136.

CAMARGO, J. F. Crescimento da população do Estado de São Paulo e seus aspectos econômicos. São Paulo: IPE/USP, 1981.

CANABRAVA, A. P. A repartição da terra na Capitania de São Paulo, 1818. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 2, n. 6, pp. 77-129, dez. 1972.

CANO, W. Raízes da Concentração Industrial em São Paulo. São Paulo, DIFEL, 1977.

CARVALHO FILHO, I. C; COLISTETE, R. Education Performance: Was It All Determined 100 Years

Ago? Evidence From São Paulo, Brazil. MPRA Paper no. 24494, postado em 18 de agosto de

http://mpra.ub.uni-muenchen.de/24494/

COLISTETE, R.; LAMOUNIER, M. L. The end of plantation? Coffee and land inequality in early

twentieth century São Paulo. MPRA Paper no. 31833, postado em 25 de junho de 2011, http://

mpra.ub.uni-muenchen.de/31833/

DAVATZ, T. Memórias de um colono no Brasil (1850). B.Horizonte: Itatiaia; S.Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 1980.

DEAN, W. Rio Claro, um sistema brasileiro de grande lavoura: 1820-1920. R.Janeiro: Paz e Terra, 1977.

DELFIM NETTO, A. O problema do café no Brasil. São Paulo: IPE-USP, 1981.

FALEIROS, R. N. Fronteiras do café. Bauru, Edusc, 2010.

FERRARO, M.R. A modernização da Agricultura e da Silvicultura Paulista (Início do século XX).

Anápolis, Universidade Estadual de Goiás, 2010.

FERRARO, M.R., MAGRO, T.C. e SILVA FILHO, D.F. da. A gênese da modernização da agricultura

em São Paulo. Revista Ciências Agrárias, Belém, no. 47, p. 149-161, jan/jun. 2007.

GIRARDI, E. P. Atlas da Questão Agrária Brasileira. http://www4.fct.unesp.br/nera/atlas/estrutura_fundiaria.htm

HOLLOWAY, T. Imigrante para o café, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

LIMA, R. C. Pequena História Territorial do Brasil. Sesmarias e Terras Devolutas. São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1990.

LUNA, F. V. & KLEIN, H. S. African Slavery in the Production of Subsistence Crops; the Case of São Paulo in the Nineteenth Century. In: ELTIS, D., LEWIS, F.D. and SOKOLOFF, K. L. Slavery in

the Development of the Americas. Cambridge, Cambridge University Press, 2003, p. 120-149.

LUNA, F. V.; KLEIN, H. S. Evolução da Sociedade e Economia Escravista de São Paulo, de 1750 a

São Paulo: Edusp, 2006.

LUNA, F. V; KLEIN, H. S. Nota a respeito de medidas para grãos utilizados no período colonial e as dificuldades para sua conversão ao sistema métrico. Boletim de História Demográfica, Ano VIII, no. 21 (março 2001), http://historia_demografica.tripod.com/bhds/bhd24/fvl.pdf

MARTINS, J. S. O Cativeiro da Terra. São Paulo: Livraria Ed. Ciências Humanas, 1979.

MELLO, P. C. M. The economics of labor in Brazilian coffee plantations, 1850-1888. PhD Thesis,

University of Chicago, Chicago, 1977.

MILLIET, S. Roteiro do Café e Outros Ensaios, São Paulo: Hucitec, 1982.

MONBEIG, P. Pioneiros e Fazendeiros de São Paulo. São Paulo: Hucitec-Polis, 1984.

MURARI, L. Tudo o mais é Paisagem: Representações da Natureza na Cultura Brasileira, Tese de Doutorado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

PÁDUA, J.A.’Cultura esgotadora’: agricultura e destruição ambiental nas últimas décadas o Brasil Império. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, no. 11, outubro 1998, p. 134.

PINO, F. A. Centenário do censo agronômico. Informações Econômicas, São Paulo, v. 35, no. 5, maio 2005.

PINTO, A. A. História da viação pública de São Paulo, São Paulo: Governo do Estado de São Paulo, 1977.

RAMOS, A. O café no Brasil e no estrangeiro. Rio de Janeiro, Pap. Santa Helena, 1923. p. 104.

SILVA, L. M. O. Terras Devolutas e Latifúndio. Campinas: Edunicamp, 1996.

SILVA, S. Expansão cafeeira e origens da indústria no Brasil. São Paulo, Ed. Alfa-Omega, 1995.

SODRÉ, N. W. Oeste. Ensaio sobre a grande propriedade pastoril. São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1990.

SUMMERHILL, W. R. Colonial Institutions, Slavery, Inequality and Development: Evidence from

São Paulo, Brazil. MPRA Paper no. 22162, postado em 17 de abril de 2010. http://mpra.ub.uni-

-enchen.de/22162/

TESSARI, C.A. Braços para colheira: sazonalidade e permanência do trabalho temporário na agricultura paulista (1890-1915). Tese de Doutorado, Universidade de Campinas, Campinas, 2010.

TESSARI, C.A. Tudinhas. Rosinhas e Chiquinhos. O Processo de Amancipação dos Escravos e os Libertos no Mercado de Trabalho. Piracicaba: 1870-1920. Dissertação de Mestrado, Universidade de Campinas, Campinas, 2000.

Downloads

Publicado

2014-03-30

Edição

Seção

Artigo