O PAEG e o Plano Trienal: uma análise comparativa de suas políticas de estabilização de curto prazo

Autores

  • Eduardo F. Bastian Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

políticas de estabilização, Plano Trienal, PAEG

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar as políticas de estabilização de curto prazo propostas pelo Plano Trienal (1962) e pelo Programa de Ação Econômica do Governo (1964) através da comparação das principais medidas implementadas e dos resultados alcançados pelos dois planos. No caso, pretende-se mostrar que os planos tinham semelhanças, sendo a política salarial do PAEG o principal ponto de distinção. Nesse contexto, as grandes diferenças de desempenho foram devidas à incapacidade do Trienal – em função dos turbulentos contextos interno e externo - de equacionar os problemas do conflito distributivo e do estrangulamento externo. O PAEG, por sua vez, equacionou os dois problemas, mas resolveu o conflito distributivo através de uma solução regressiva e, no caso do estrangulamento externo, obteve uma ajuda norte-americana com a qual o Plano Trienal não pôde contar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BASTOS, P.P.Z. O Plano Trienal e sua Economia Política. In: O Plano Trienal e o Ministério do Planejamento, Centro Celso Furtado, Rio de Janeiro: Contraponto, 2011.

CAMPOS, R. A Lanterna na Popa. Rio de Janeiro: Topbooks, 1994.

CARDOSO, F.H. Aspectos Políticos do Planejamento. In: LAFER, Betty Mindlin (org.). Planejamento no Brasil. São Paulo: Editora Perspectiva, 1970.

COLISTETE, R.P. Productivity, Wages and Labor Politics in Brazil, 1945-62. Journal of Economic

History, vol.67, Nº 1, 2007.

FONSECA, P.C.D. Legitimidade e Credibilidade: Impasses da Política Econômica do Governo Goulart. Estudos Econômicos, v.34, n.5, 2004.

FURTADO, C. Obra Autobiográfica de Celso Furtado. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

HERMANN, J. Reformas, Endividamento Externo e o “Milagre” Econômico (1964-73). In: GIAMBIAGI, F.; VILLELA, A.; CASTRO, L.B.; HERMANN, J.(org.). Economia Brasileira Contemporânea (1945-2004). Rio de Janeiro: Campus, 2004.

LARA RESENDE, A.. A Política Brasileira de Estabilização 1963/68. Pesquisa e Planejamento Econômico, vol. 12, n.3, 1982.

LARA RESENDE, A. Estabilização e Reforma: 1964-1967. In: ABREU, M.P. A Ordem do Progresso.

Rio de Janeiro: Campus, 1990.

LOUREIRO, F.P. A “Última Chance”; o governo Kennedy e o Plano Trienal. Anais do IX Congresso Brasileiro de História Econômica e 10a Conferência Internacional de História de Empresas, Curitiba, 07-09 de setembro, 2011.

MACEDO, R.B.M. Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social (1963-1965). In: LAFER, B. M. (org.). Planejamento no Brasil. São Paulo: Editora Perspectiva, 1970.

MALAN, P.S. Relações Econômicas Internacionais do Brasil (1945-1964). In: FAUSTO, Boris (dir.). História Geral da Civilização Brasileira: Tomo III – O Brasil Republicano – Economia e Cultura (1930-1964). São Paulo: DIFEL, 1984.

MELO, H.; BASTOS, C.P.; ARAÚJO, V.L. A Política Macroeconômica e o Reformismo Social: impasses de um governo sitiado. In: FERREIRA, Maria de Moraes (coor.). João Goulart: entre a História e memória. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

MONIZ BANDEIRA, L. A. O Governo João Goulart: as lutas sociais no Brasil 1961-1964. São Paulo: Editora UNESP, 2010.

PAEG – Programa de Ação Econômica do Governo 1964-1966. Documentos EPEA – no 1, Rio de Janeiro, 1964.

PLANO TRIENAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL 1963- 65. In: O Plano Trienal e o Ministério do Planejamento, Centro Celso Furtado, Rio de Janeiro: Contraponto, 2011.

RIBEIRO, Casimiro Antonio. Casimiro Ribeiro II – depoimento 1989. Rio de Janeiro: CPDOC, Banco Central, 1990. 97p.dat.

RIBEIRO, R.A. A Aliança para o Progresso e as Relações Brasil- Estados Unidos. Tese de Doutorado, Departamento de Ciência Política do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 2006.

SIMONSEN, M.H. Inflação: Gradualismo x Tratamento de Choque. Rio de Janeiro: Apec Editora, 1970.

SIMONSEN, M.H. A Política Anti-inflacionária. In: SIMONSEN, M.H.; CAMPOS, R.O. A Nova Economia Brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1974.

SKIDMORE, T. Brasil: de Getúlio a Castelo. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

SOCHACZEWSKI, A.C. Desenvolvimento econômico e financeiro do Brasil: 1952-1968. São Paulo: Trajetória Cultural, 1993.

SOLA, L. Idéias Econômicas, Decisões Políticas. São Paulo: Edusp, 1998.

Downloads

Publicado

2013-03-30

Edição

Seção

Artigo