O pensamento no período Edo (1603-1868)

Autores

  • Madalena Natsuko Hashimoto Cordaro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-7125.v0i18p77-100

Palavras-chave:

Estudos Confucionistas, Estudos Clássicos, Estudos Vernaculares, Estudos do Coração, conflito giri-ninjô (obrigação-sentimento humano).

Resumo

Tentando rastrear as idéias (neo)confucionistas que se diz permearem todo o período Edo, o presente estudo se concentra nos Estudos Confucionistas (Jugaku), nos Estudos Clássicos (Kogaku), nos Estudos Vernaculares (Kokugaku) e nos Estudos do Coração (Shingaku), sem diferenciar filosofia de religião, mas atento tanto à diversidade dos enfoques em diferentes momentos históricos e grupos sociais, quanto ao processo de amálgama dessas idéias que se processaram no Japão. Analisa-se principalmente o conflito giri-ninjô (obrigação-sentimento humano), tão presente em obras literárias do período e na sociedade como um todo, à luz das conclusões às quais se chegou.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Cordaro, M. N. H. (1998). O pensamento no período Edo (1603-1868). Estudos Japoneses, (18), 77-100. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7125.v0i18p77-100

Edição

Seção

Artigos