En: do chinês à diversidade conceptual do japonês análise das palavras autóctones do domínio do belo no universo de Genji monogatari

  • Leiko Matsubara Morales
Palavras-chave: campo conceptual,campo lexical, semântica,traços semânticos.

Resumo

Este trabalho insere-se nos estudos de âmbito semântico e tem como objetivo principal comparar os matizes semântico-conceptuais do logograma-palavra (en) entre o chinês e o japonês,no século XI,ápice do florescimento da cultura autóctone. Selecionamos Genji Monogatari (1006),de autoria de Murasaki Shikibu,para constituir o corpus,em virtude da significativa ocorrência em termos quantitativos (do total de 71 ocorrências no universo de obras kanabungaku do período Heian (séculos IX a XI),57 concentram-se em Genji Monogatari) e qualitativos (a mais abrangente distribuição sintatica quanto à relação sintagmática no contexto oracional em comparação aos demais empréstimos chineses). A análise foi realizada por meio da dimensão semasiológica (traços estruturais e estruturáveis do significado) e onomasiológica (dos significados ou conceitos constitutivos daquele signo, as manifestações no plano do conteúdo). Levamos em conta, ainda que brevemente,os aspectos extralingüísticos (contextos social cultural,histórico e pragmático) ao traduzir para o português os trechos em que aparece o • Mapeamos os estudos precedentes,bem como os significados registrados em dicionários modernos de termos arcaicos japoneses para analisar em que medida a introdução dessa palavra veio a contribuir para o domínio do “belo”.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Morales, L. (1). En: do chinês à diversidade conceptual do japonês análise das palavras autóctones do domínio do belo no universo de Genji monogatari. Estudos Japoneses, (23), 23-47. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7125.v0i23p23-47
Seção
não definida