Aparência, familismo e Ryosai Kenbo: relato de intervenção junto a mulheres nipo-brasileiras durante pandemia de COVID-19

Autores

  • Suzanne Tanoue dos Santos Universidade de São Paulo
  • Andrea Lopes Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-7125.i46p87-105

Palavras-chave:

Intergeracionalidade, Aparência, Familismo, Família Nipo-Brasileira, Ryōsai Kenbo

Resumo

Relato de experiência com o objetivo de descrever intervenção gerontológica realizada entre abril e junho de 2020 no âmbito da convivência mútua de cinco mulheres provenientes de três gerações de família nipo-brasileira, frente ao isolamento social por COVID-19. Elaboração de dois ensaios fotográficos, rodas de conversa e intervenções na aparência. A ação suscitou reflexões e discussões acerca da noção de familismo e do papel de boa esposa e mãe sábia (Ryōsai Kenbo), aspectos formativos da sociedade japonesa do início do século 20. Ambos os valores estiveram presentes ao longo do envelhecimento e ainda estão fortemente associados à construção identitária das participantes. A experiência demonstrou que intervenções na aparência, combinando conceitos teóricos aplicados por meio da arte, podem promover ressignificação do curso da vida e bem-estar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suzanne Tanoue dos Santos, Universidade de São Paulo

Jornalista, fotógrafa, graduanda em Gerontologia da Universidade de São Paulo e membro do grupo de pesquisa, ensino e extensão Envelhecimento, Aparência e Significado (EAPS).

Andrea Lopes, Universidade de São Paulo

Antropóloga, docente da Universidade de São Paulo e coordenadora do grupo de pesquisa, ensino e extensão Envelhecimento, Aparência e Significado (EAPS).

Referências

ANDRÉ, Richard Gonçalves. A paixão entre ogros e budas: a busca pela “niponicidade” na coletânea fotográfica “Koji Junrei” (1939-1975), de Domon Ken. Estudos Japoneses, São Paulo, n.42, p. 13-34, outubro, 2019.

ASHKENAZI, Michael. Handbook of Japanese mythology. California: ABC-CLIO, 2003.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BRASIL. Lei nº 3.071, de 1º de Janeiro de 1916. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Brasília: Casa Civil, [1916]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l3071impressao.htm. Acesso em: 18 mar. 2022.

CERTEAU, Michel de. A invenção do Cotidiano. Trad. Ephraim Ferreira Alves. 3ª. Ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Trad. Viviane Ribeiro. Bauru: EDUSC, 2002. p. 9-15.

DEBERT, Guita Grin. Pressupostos da reflexão antropológica sobre a velhice. In: Debert, Guita Grin. (Org.). Antropologia e velhice. Campinas: IFCH/UNICAMP, 1998. Introdução, p. 7-27.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. In: A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994. p. 12-61.

HELLER, Peter. Familism Scale: Revalidation and Revision. Journal of Marriage and Family, Minneapolis, v. 38, n. 3, p. 423-429, agosto, 1976.

ISOTANI, Mina. A representação do feminino: a construção identitária da mulher japonesa moderna. 2016. Tese (Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, p. 220, 2016.

KOYAMA, Shizuko. Ryōsai Kenbo: The Educational Ideal of ‘Good Wife, Wise Mother’ in Modern Japan. Trad: Stephen Filler. Boston: Brill, 2009.

KUBOTA, Nádia Fujiko Luna. Manutenção das tradições na família japonesa em Campo Grande. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, Brasília, v. 16, n. 30, p. 165- 181, setembro, 2008.

LOPEZ-CALVO, Ignácio. El discurso y la producción cultural nikkei en Brasil. Revista de Crítica Literaria Latinoamericana, Lima, n. 87, p. 203-226, janeiro/junho, 2018.

MERCADANTE, Elisabeth. Aspectos Antropológicos do Envelhecimento. In: NETTO, Matheus Papaléo. (Org.). Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Atheneu, 2002. Capítulo 6, p. 73-76.

PIRES, Ricardo Sorgon. O Nihonjinron e o mito do excepcionalismo japonês (1950-1980). In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA, 2017, Maringá. Anais eletrônicos... Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2017. Disponível em: http://www.cih.uem.br/anais/2017/trabalhos/3810.pdf. Acesso em: 19 mar. 2021.

REZENDE, Daniela Leandro. Patriarcado e formação do Brasil: uma leitura feminista de Oliveira Vianna e Sérgio Buarque de Holanda. Pensamento Plural, Pelotas, n.17, p.7-27, julho-dezembro, 2015.

SAKURAI, Célia. Primeiros pólos da imigração japonesa no Brasil. Revista USP, São Paulo, n.27, p. 32-45, novembro, 1995.

SASAKI, Elisa Massae. Nihonjinron - teorias da japonicidade. Estudos Japoneses, São Paulo, n.31, p.11-25, 2011.

SCHABBACH, Letícia Maria. A reprodução simbólica das desigualdades entre mulheres e homens no Brasil. Opinião Pública [online], Campinas, v. 26, n. 2, p. 323-350, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-01912020262323. Acesso em: 19 mar. 2022.

SILVEIRA, Diego Omar. Mulher, mãe e esposa: conservadorismo católico e representações do feminino na imprensa católica mineira. Pro-Posições [online], Campinas, v. 28, n. 3, p. 330-352, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-6248-2016-0110. Acesso em 19 mar. 2022.

VOGEL, Suzanne Hall; VOGEL, Steven. The Japanese Family in Transition: From the Professional Housewife Ideal to the Dilemmas of Choice. Lanham: Rowman and Littlefield, 2013.

WARICODA, Ana Sayuri Ribeiro. Estudo sobre representações sociais de casamento e práticas conjugais para nipo-descendentes e brasileiros. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Centro de Ciências Humanas e Naturais, Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, p. 91, 2010.

WEINER, Michael. Japan’s Minorities: the illusion of homogeneity. 2ª Ed. Nova York: Routledge, 2009.

YOKOMIZO, Patrícia da Silva; LOPES, Andrea. Aparência: uma revisão bibliográfica e proposta conceitual. dObra[s] – Revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, São Paulo, v. 12, n. 26, p. 227-244, agosto, 2019.

Downloads

Publicado

2022-09-08

Como Citar

Santos, S. T. dos, & Lopes, A. . (2022). Aparência, familismo e Ryosai Kenbo: relato de intervenção junto a mulheres nipo-brasileiras durante pandemia de COVID-19. Estudos Japoneses, (46), 87-105. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7125.i46p87-105

Edição

Seção

Artigos