A construção da personagem Tita a partir de sua relação com a cozinha em "Como agua para chocolate" (1989), de Laura Esquivel

Autores

  • Jaqueline de Oliveira Brandão Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
  • Lurdes Micaelly Neris Ferreira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9748.v4i1p12-23

Palavras-chave:

Literatura hispano-americana, Personagem feminina , Cozinha

Resumo

O presente artigo tem como finalidade analisar a construção da personagem feminina Tita do romance Como agua para chocolate (1989), de Laura Esquivel, através do ambiente no qual está inserida desde seu nascimento: a cozinha. A protagonista é a filha mais nova de três irmãs, sua Mamãe Elena é uma mulher extremamente rígida, que após a perda de seu marido, assume o controle do rancho e da educação das filhas. Na condição de caçula, Tita é obrigada a seguir uma tradição familiar que lhe proíbe de se casar para cuidar da mãe. Diante dessa circunstância marcada pela submissão, Tita inicia uma trajetória de luta, impulsionada pela von- tade de romper não somente com a tradição castradora, mas também com os valores do patriarcado que marginalizam e silenciam a voz feminina. Desse modo, a cozinha – espaço de confinamento e submissão da mulher – propicia um papel de extrema importância na transformação da protagonista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BUTOR, Michel. O espaço no romance. In: Repertório. São Paulo: Perspectiva, 1974. p. 39-47.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. André Barbault et al. (Col.). Carlos Sussekind (Coord.). Trad. Vera da Costa e Silva. 21. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2007.

ESCAJA, Tina. Reinscribiendo a Penélope: mujer e identidad mejicana en Como agua para chocolate. Revista Iberoamericana. v. 66, n. 192, p. 571-86, jul./sep. 2000.

ESQUIVEL, Laura. Como agua para chocolate. Buenos Aires: Debolsillo, 2009.

ESQUIVEL, Laura. Como água para chocolate. Trad. Olga Savary. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MIRANDA, Kátia Rodrigues Mello. A pedra e a água: uma leitura comparada de Pedro Páramo (1955), de Juan Rulfo, e Como água para chocolate (1989), de Laura Esquivel. Tese de Doutorado em Letras, Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Assis, 2013.

SACRAMENTO, Adriana Rodrigues. A culinária de sentidos: corpo e memória na literatura contemporânea. Tese de Doutorado em Literatura. Universidade de Brasília, Brasília, 2009. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/handle/10482/4926>. Acesso em: 26 ago. 2016.

SANTOS, Ana Cristina dos. Algumas reflexões sobre a voz feminina na moderna narrativa hispano-americana. In: Anuario Brasileño de Estudios Hispánicos, nº 9, 1999, p. 117-128. Disponível em <http://www.educacion.gob.es/exterior/br/es/publicaciones/anuario/abeh99.pdf>. Acesso em: 5 de maio de 2015.

SHOWALTER, Elaine. A crítica feminista no território selvagem. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de (Org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da literatura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 23-57.

ZOLIN, Lúcia Osana. Literatura de autoria feminina. In: BONNICI, Thomas; ZOLIN, Lúcia Osana (Org.). Teoria literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. 2. ed. Maringá: Eduem, 2005. p. 275-83.

Downloads

Publicado

2020-11-24

Como Citar

Brandão, J. de O., & Ferreira, L. M. N. . (2020). A construção da personagem Tita a partir de sua relação com a cozinha em "Como agua para chocolate" (1989), de Laura Esquivel. Revista Entrecaminos, 4(1), 12-23. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9748.v4i1p12-23

Edição

Seção

MULHERES ARTISTAS