Memórias de violência em "Decir sí", de Griselda Gambaro, e "Cariño Malo", de Inés Stranger

Autores

  • Douglas Henrique de Oliveira Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9748.v4i1p36-42

Palavras-chave:

Dramaturgia, Teatro, Ditaduturas

Resumo

Os países da América Latina traçam histórias paralelas desde as explorações coloniais. As estabilidades políticas, sociais e econômicas quase não existem em suas jovens e frágeis democracias. As liberdades artísticas e de expressão, de uma maneira generalizada, são alvos manjados de regimes políticos autoritários. Como consequência, a arte ganha novos símbolos e se converte em resistência. Para o dramaturgo e diretor chileno Ramón Griffero, frente a tais momentos políticos de forte ameaça aos direitos humanos e à liberdade artística, é necessário mudar os códigos e as imagens da forma teatral para não falar como eles falam. Neste trabalho, o objetivo é aproximar dois textos dramatúrgicos escritos por mulheres latino-americanas, pelo viés da violência. Por um lado, tratarei de fazer uma leitura sobre o contexto ditatorial argentino por meio do texto Decir sí assinado por Griselda Gambaro. Por outro, farei uma leitura da violência psicológica sofrida pelas personagens da chilena, Inés Stranger, em sua obra Cariño malo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

PELLETIERI, Osvaldo (org.). Teatro argentino contemporâneo. São Paulo: Iluminuras, 1992.
STRANGER, Inés. Cariño malo. In: RAVETTI e ROJO. Antologia de dramaturgia de mulheres. Belo Horizonte: Amazém de ideias, 1996. pp. 123-140.
VARGAS, Antonio; OLIVETTO, Daniel; SEGANTINNI, Karina. O grotesco como estética contemporânea.
SCHWARZ, Roberto. Cultura e política, 1964-1969.
ZANGARO, Patrícia in GAMBARO, Griselda. Teatro Reunido III. Buenos Aires: Ediciones de la Flor, 2011.
RANCIÈRE, Jacques. O inconsciente estético. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo, 2005a.

RANCIÈRE, Jacques. Política da Arte. In: Práticas estéticas, sociais e políticas em debate. Trad. Mônica Costa Netto. Sesc Belenzinho, São Paulo, 2005b.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo:”Ed. 34, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Trad. Mônica Costa Netto. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

ROJO, Sara. Aspectos estéticos e políticos: na tradução teatral latino-
americana: Teatro e Tradução de Teatro. Belo Horizonte: Relicário Edições, 2017.

ROJO, Sara. Teatro e pulsão anárquica: estudos teatrais no Brasil, Chile e Argentina. Belo Horizonte: Nandyala, 2011.

ROJO, Sara. Teatro latino-americano em diálogo: produção e visibilidade. Belo
Horizonte: Javali, 2016.

Downloads

Publicado

2020-11-24

Como Citar

Oliveira, D. H. de. (2020). Memórias de violência em "Decir sí", de Griselda Gambaro, e "Cariño Malo", de Inés Stranger. Revista Entrecaminos, 4(1), 36-42. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9748.v4i1p36-42

Edição

Seção

MULHERES ARTISTAS